Exaltado com um bonito bandeirão antes do jogo, o técnico Ricardo Gomes foi xingado de burro ao substituir Neílton por Sassá, no segundo tempo da derrota do Botafogo para o Paysandu por 3 a 2, no Estádio Nilton Santos. O treinador, entretanto, elogiou a torcida, analisou o desempenho da equipe e até “agradeceu” pelos xingamentos.

– Foi uma grande festa da torcida. Perdemos, mas jogamos futebol. É claro que tivemos erros defensivos. Foram três vacilos. Temos que melhorar. Mas no primeiro tempo tempo tivemos chances claras e não concluímos bem. É claro que estou triste, mas jogamos futebol. O Paysandu é um time organizado e padronizado. São situações do futebol. Jogamos bem, mas tivemos nossos erros defensivos e por isso não ganhamos. (A vaia) Faz parte do futebol. Foi uma “homenagem”, agradeço – disse.

O Botafogo poderia ter empatado o jogo se o auxiliar não apontasse, equivocadamente, impedimento no lance que o árbitro marcou um pênalti a favor do Alvinegro. Ricardo Gomes admitiu que o time foi prejudicado pela arbitragem, mas recusou-se a dizer que a derrota foi injusta.

– Foram dois pênaltis. Um do Neilton, outro no Luis Henrique. Mas não existe a palavra injustiça no futebol. Isso é coisa do jogo. Quando fizemos 2 a 1, achei que fôssemos virar. Mas o Paysandu marcou logo na saída de bola. Estávamos organizados naquele momento, perdemos quase 10 minutos para nos reencontrar. Com o pênalti no Luis Henrique empataríamos o jogo – opinou o técnico.

Fonte: FutNet