Além do ganho técnico e de ter gerado novas receitas com o sócio-torcedor, Honda tem mostrado também um comportamento diferenciado no Botafogo. Por conta da paralisação do futebol provocada pela pandemia do novo coronavírus, o meia japonês abriu mão de receber os salários de março, mas o clube não aceitou.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

– Ele é um exemplo, tem um comportamento extraordinário. Ficou aqui no Brasil, a família dele está no Japão, e ele tem falado mais com o Ricardo (Rotenberg). Ele comentou: “Estou pensando em não receber o mês de março, sei que o clube está em dificuldade, como não teve jogo…” Ele que sugeriu! Nem demos conversa, já que estamos pagando normalmente – revelou Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê executivo de futebol do Botafogo, ao Canal do Nicola.

Quem acompanha Honda nas redes sociais pode notar a preocupação do japonês com as questões políticas e financeiras em relação à pandemia. Recentemente, por exemplo, ele externou sua opinião de que os atletas deveriam abrir mão dos rendimentos para preservar a saúde financeira dos clubes.

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do Nicola