HYURI TEM ESTREIA APOTEÓTICA E BOTAFOGO VENCE

Compartilhe:

Hyuri substituiu Lodeiro e fez dois gols no Maracanã (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

Hyuri substituiu Lodeiro e fez dois gols no Maracanã (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

Hyuri deu a prova de que a confiança dos botafoguenses em 2013 tem de ser inesgotável. O garoto deu um show, marcando dois gols, um deles histórico, talvez o mais lindo do Campeonato Brasileiro, e terminou a jornada como a grande figura da vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba. Ousado, o garoto formado na base do Audax estreou com a responsabilidade de substituir Lodeiro e arrebentou. Voltou para marcar, deu carrinho e jogou boa parte do segundo tempo no sacrifício, mancando. O Coxa não viu a bola e pouco ameaçou mesmo quando passou a ter um jogo a mais.

O resultado deixa o Botafogo na terceira colocação, com os mesmos 33 pontos do Atlético-PR, que leva vantagem no número de gols marcados. O Coxa, por sua vez, fica estagnado na oitava colocação e seu jejum de vitórias aumentou para seis jogos.

Numa noite em que Seedorf pouco jogou, os jovens botafoguenses mereceram total destaque. O positivo foi Hyuri, que completa 22 anos no próximo dia 26. Audaz, ele foi para cima desde o início e acabou marcando dois gols, o segundo uma pintura. De cinema. Já Renan, dois anos mais velho e profissional desde os 18, foi a figura negativa. Com 3 a 0 no placar e a fatura praticamente liquidada, ele, diante dos adversários Gil e Maicon, optou por derrubar o primeiro dentro da área. Pênalti e, como era o último homem, foi justamente expulso. Erro que obrigou o Botafogo, que partia para tentar uma goleada, a pisar no freio.

Hyuri e Seedorf gol Botafogo x Coritiba (Foto: Guito Moreto / O Globo)Hyuri se emocionou muito com o gol no abraço de Seedorf (Foto: Guito Moreto / O Globo)

Aliás inexperiente também foi logo o mais velho do time: já nos minutos finais, tomou cartão amarelo por retardar cobrança de lateral e virou desfalque para o último jogo do turno, contra o Criciúma, no próximo domingo, às 18h30m, fora de casa.

A belíssima atuação de Rafael Marques, especialmente no primeiro tempo, também não pode ser esquecida. Fez um belo gol e deu assistência ainda mais bonita para Hyuri.

Primeiro Tempo

O primeiro tempo premiou a ousadia do Botafogo. O time não pensava duas vezes em tentar jogadas de efeito, dividia todas as bolas e buscava o ataque de forma incansável. Os melhores alvinegros foram justamente os autores dos gols. Rafael Marques, em ótima fase, contou com a sorte no primeiro. De costas no início do lance, tomou um susto ao ser carimbado por Elias, que chutaria para fora. A cabeça de Rafael desviou a trajetória da bola, e na sequência ela voltou limpinha para o próprio artilheiro tocar para a rede: 1 a 0. Depois, novamente o camisa 20 botafoguense brilhou. Recebeu lançamento de Dória, dominou no peito e fez cruzamento lindo para Hyuri, que esbanjava confiança, cabecear com muito estilo e ampliar o placar.

Apagadíssimo, o Coritiba só apareceu com o ex-botafoguense Vitor Júnior, logo no início do jogo. Aproveitou-se de erros de Edílson e Bolívar, disparou e quase marcou. Depois disso, o Coxa até teve mais posse de bola, porém não levou perigo nenhum. Alex e Julio Cesar, os mais experientes, estiveram muito abaixo da média no primeiro tempo.

Segundo Tempo

O Botafogo voltou elétrico para o segundo tempo e quase abriu o placar logo aos dois minutos, com Seedorf. Mas a noite era do garoto Hyuri, que entrou para o fazer o gol mais bonito do “Novo Maracanã”. Recebeu fora da área, tirou quatro adversários com um repertório de dribles maravilhosos, deixando o lateral Diogo completamente zonzo, e completou com um belo chute. Fantástico!

Tudo parecia resolvido até Renan cometer o tal pênalti infantil e recolocar no jogo o Coritiba, que diminuiu com ótima cobrança de Alex. Depois do gol, o camisa 10 quase fez o segundo, de cabeça. Também pelo alto, Chico chegou perto de marcar em lance no qual Milton Raphael saiu muito mal. O Botafogo passou a controlar o jogo e os paranaenses viram suas chances acabarem de vez aos 40 minutos, quando Maykon, de 21 anos, foi expulso por dois lances muito bobos. Primeiro se jogou na área e depois fez falta violenta. Vitória merecida para o Bota.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 3 X 1 CORITIBA

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 5/9/2013 – 19h30
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Edílson Frasão Pereira (TO)
Renda e público:  R$ 250.375,00 / 6.676 pagantes / 9.682 presentes
Cartões amarelos: Gabriel, Seedorf e Hyuri (BOT); Luccas Claro, Vitor Júnior, Maykon e Gil (CTB)
Cartões vermelhos:  Renan (BOT) e Maykon (CTB).
Gols: Rafael Marques 13’/1ºT (1-0), Hyuri 40’/1ºT (2-0), Hyuri 4’/2ºT (3-0) e Alex 11’/2ºT (3-1)

BOTAFOGO: Renan, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel (Lucas Zen 37’/2ºT), Rafael Marques, Seedorf e Hyuri (Octávio 35’/2ºT); Elias (Milton Raphael 11’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

CORITIBA: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Chico e Diogo; Willian, Gil (Lincoln 16’/2ºT), Vitor Júnior e Alex; Geraldo (Maykon – Intervalo) e Julio César (Bill 18’/2ºT) – Técnico: Marquinhos Santos.



Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)
Comentários