Muitos torcedores do Botafogo creditaram a derrota para o Barcelona-EQU por 2 a 0 nesta terça-feira, no Estádio Nilton Santos, ao esquema ofensivo utilizado pelo técnico Jair Ventura. Na entrevista coletiva após a partida, a primeira pergunta foi justamente sobre a opção de utilizar três atacantes: Guilherme, Rodrigo Pimpão e Sassá.

– Na verdade não foram três atacantes, é um 4-2-3-1. Não jogamos só num sistema. Perdemos o Bruno Silva e não temos ninguém no elenco com a mesma caracterísitica. Engesso com um jogador que não tem a mesma característica dele, ou jogamos como jogamos todos os jogos no Nilton Santos, com dois volantes? Todas as vitórias que conquistamos em casa foram com dois volantes. Por conta do Guilherme ter feito um excelente jogo, com dois gols, tinha que aproveitar seu melhor momento. Foi o mesmo sistema de todas as vitórias em casa. Não foi nada de professor Pardal, nada de invenção – defendeu-se.

Jair Ventura também mostrou tranquilidade com a situação do Botafogo na Copa Libertadores. Faltando ainda dois jogos, o Glorioso está na vice-liderança do Grupo 1, com sete pontos, com boa margem para Atlético Nacional e Estudiantes, que têm três pontos cada. O Fogão se classifica com uma vitória no próximo dia 18, diante da equipe colombiana, no Estádio Nilton Santos.

– Lamentamos, foi mais uma festa linda da torcida, queríamos resolver o quanto antes a nossa situação. Não fizemos a nossa parte, mas a vitória do Atlético Nacional nos ajudou. Temos mais um jogo, de repente até mesmo com um empate podemos nos classificar. Vamos buscar a vitória em casa – disse Jair, que lamentou o número de chances desperdiçadas pelos atacantes nesta noite:

– Hoje perdemos duas substituções por lesão, mas esse é o Botafogo, a gente vai no limite. Não fomos felizes também no terço final… A gente poderia jogar até amanhã de manhã que a bola não iria entrar.

Fonte: Redação FogãoNET