O clima é de despedida no Botafogo. Afinal, nesta segunda-feira (26), o ídolo Jefferson vai fazer a sua última partida com a camisa alvinegra. Terceiro jogador com mais jogos pelo Glorioso, o goleiro vai para a sua partida 455, contra o Paraná, no Estádio Nilton Santos. Depois de uma temporada difícil, com problemas de lesões, Jefferson não voltou atrás da decisão de se aposentar. Mas, com o fim da carreira cada vez mais próximo, o goleiro admite que a ficha finalmente caiu.

“Confesso que a ficha está caindo agora. Venho me preparando faz tempo para a aposentadoria. Estou muito emocionado esses dias. Todos vão passar por isso, mas é muito difícil. Essa coletiva pela última vez. Momento emocionante. Só tenho que agradecer. Agradeço ao Cruzeiro por abrir as portas. Hoje, sou Botafogo e agradeço ao clube também. A vocês (jornalistas) também”, disse o goleiro.

Ídolo recente, Jefferson chegou desacreditado ao clube

Jefferson tem uma das mais belas histórias com a camisa do Botafogo. Contratado junto ao Cruzeiro, em 2003, o goleiro vinha desacreditado após falhas importantes com a camisa da Raposa. Mas a, então, jovem promessa não se deixou abater. No ano seguinte, Jefferson assumiu a titularidade do Botafogo e foi um dos responsáveis por impedir o rebaixamento da equipe em 2004. O bom rendimento fez com que o goleiro rumasse para o Trabzonspor-TUR, em 2005.

Após uma passagem frustrada pelo Konyaspor-TUR, Jefferson voltou ao Botafogo em 2009, mas sem o mesmo status de antes. Logo depois de amargar a reserva de Castillo e Renan, o goleiro finalmente ganhou a titularidade para não sair mais. No ano seguinte, Jefferson começou a escrever o seu nome na história do Glorioso. O goleiro pegou pênalti de Adriano e ajudou a equipe a garantir o título carioca de 2010. Foi o primeiro dos três títulos estaduais com a camisa alvinegra.

Fiel em tempos difíceis, Jefferson entra para a história do Botafogo

Logo depois, Jefferson recebeu a primeira convocação para a Seleção Brasileira. Graças ao rendimento pelo Botafogo, o goleiro ainda fez 22 partidas com a Amarelinha. O bom rendimento fez com que o arqueiro fosse sondado por clubes europeus como Milan, Napoli e Galatasaray. Mas o goleiro sempre demonstrou fidelidade ao Glorioso, a ponto de recusar uma proposta do Santos, em 2015, logo depois do segundo rebaixamento alvinegro.

O sacrifício foi recompensado com a idolatria e o carinho da torcida botafoguense. Sentimento esse que Jefferson pretende carregar para sempre: “Quero agradecer a todos os botafoguenses. Uma torcida que vou guardar no coração, me abraçaram aqui no Rio, sempre me respeitaram nos momentos bons e ruins. Isso faz a diferença. Cheguei com 20 anos, voltei para ficar e quero estar mais próximo”, afirmou o goleiro.

A noite de gala de Jefferson será nesta segunda-feira (26), às 20h, horário de Brasília, contra o Paraná. A expectativa é de que o Estádio Nilton Santos esteja lotado para receber, pela última vez, um dos maiores ídolos da história do Botafogo. Para o jogo, a diretoria do Glorioso colocou ingressos a partir de R$ 2,50, que já estão à venda na bilheteria da arena.

Fonte: Esporte 24 Horas