O momento é todo dele. A iniciarem por este sábado, as homenagens a Jefferson passaram por presença de torcedores no Nilton Santos a fim de tietá-lo, filas por ingressos por jogo de despedida e decoração especial no backdrop da sala de imprensa, onde o goleiro concedeu entrevista coletiva.

Uma dúvida até esta manhã, a titularidade de Jefferson foi confirmada pelo próprio ídolo, que se manteve sereno nas palavras, mas admitiu que a emoção está tomando conta nesta preparação para o seu último jogo da carreira.

– Confesso que a ficha só está caindo agora. Vinha preparando a aposentadoria há muito tempo, sou conhecido como um cara de gelo, centrado, focado dentro de campo, mas confesso que estou muito emocionado nesses últimos dias. É bem difícil saber que muitas coisas que estão acontecendo pela última vez. Já treinamos no campo anexo (Nilton Santos) pela última vez, coletiva pela última vez… Momento bem emocionante da minha carreira – disse, completando:

– Foi uma carreira vitoriosa, de sucesso. Agradeço aos times que passei, ao Cruzeiro também, que deu a oportunidade de me profissionalizar. Ao Botafogo, que me tornou botafoguense, assim como a minha família é hoje. É um dos maiores do Brasil e do mundo, sem dúvida.

DESPEDIDA NÃO OFICIAL COM LOCO

Outro assunto abordado na entrevista coletiva foi sobre a possibilidade de uma despedida não oficial, com caráter integralmente de festa e amigos de Jefferson. Aos 35 anos, o goleiro afirmou que a partida está, sim, no planos, além de revelar dois nomes que seriam imprescindíveis.

– Tem a possibilidade, sim. É algo muito em cima ainda, não teve como programar antes, até pela nossa antiga situação na tabela. Vai ser uma festa fora de campo, pois dentro buscaremos os três, em cima das metas no campeonato. Da minha parte, quero reunir alguns amigos e poder fazer um jogo no Nilton Santos para que o torcedor possa comparecer. Tem o Loco Abreu, o Sandro, o grupo de 2003 (que pretende chamar).

ANSIEDADE PARA A DESPEDIDA

Jefferson soma 458 partidas, o que o torna o terceiro atleta que mais vezes vestiu a camisa do Botafogo, só ficando atrás de Garrincha (612) e Nilton Santos (721). Já no Estádio Nilton Santos, o arqueiro natural de São Vicente (SP) é o recordista da casa alvinegra, com 147 jogos acumulados.

Para o seu 148º jogo no Niltão, Jefferson admitiu estar ansioso, mas também focado, assim como o grupo alvinegro, para buscar os três pontos diante de um já rebaixado Paraná – lanterna do Campeonato Brasileiro.

– Creio que estará muito bonita (a atmosfera) no estádio. A ansiedade está grande. Como falei, estou preparado para essa festa maravilhosa. Mas também estou focado no jogo. Temos que saber dividir as coisas. Quando o juiz apitar, buscar os três pontos, com foco.

Marcado pela despedida de Jefferson, o histórico duelo entre Botafogo e Paraná será realizado às 20h (de Brasília) desta segunda-feira, pela 37ª rodada do Brasileirão. Um empate garante o Glorioso na Sul-Americana de 2019.

Fonte: Terra