Parecia uma missão impossível e que só seria concretizada com roteiro digno de filmes de Hollywood. Mas o que parecia apenas um sonho, se tornou realidade. Titular da seleção brasileira, Jefferson disputará a Série B do Campeonato Brasileiro pelo Botafogo. Mais que isso. O goleiro foi além, renovou com o Alvinegro pelos próximos três anos e aumentou a idolatria com os torcedores.

A decisão de Jefferson de permanecer no Botafogo, mesmo após o rebaixamento para a Série B é muito parecida com a de Marco, no Palmeiras, em 2003. Campeão mundial com a seleção brasileira em 2002, o goleiro recusou proposta do Arsenal, da Inglaterra para jogar a segunda divisão com o Alviverde.

Jefferson não teve proposta oficial do exterior, mas sondagens de clubes da Itália, por exemplo. Com salários atrasados, ele poderia ter saído do Botafogo na Justiça, como fizeram Gabriel e Daniel. O goleiro se recusou a sair de General Severiano pelas portas dos fundos e jogará a Série B mesmo com o status de titular da seleção brasileira.

A decisão do capitão de estender seu vínculo foi muito comemorada pela cúpula de futebol do Botafogo. Além de saber que poderá contar com a qualidade do jogador em sua meta, a diretoria vê o episódio como uma turbinada na combalida força do Alvinegro nos bastidores.

“Decisões como essa que o Jefferson e o Marcos tomaram são raríssimas. O Jefferson escreve o nome dele com letras douradas na história do Botafogo. E não é fácil entrar para nossa história, com ídolos de peso. Todos os clubes precisam de um ídolo. Vemos vários procurado um e não conseguem. É difícil mesmo. Ele tem essa postura dentro e fora de campo. Construiu essa imagem ao longo do tempo. Essa identificação dele com a torcida fez toda a diferença. Vai jogar a Série B mesmo sendo titular da seleção brasileira. É um esforço grande para o Botafogo, mas que sera recompensado”, disse o presidente Carlos Eduardo Pereira ao UOL Esporte.

Em meio a grave crise financeira, o mandatário precisou de algumas reuniões com os representantes de Jefferson para convencer os empresários de que o Botafogo, de fato, está sob nova direção. E conseguiu. O discurso de austeridade financeira não tem ficado apenas nas palavras. A montagem do elenco, na prática, tem ocorrido sem loucuras, o que agradou.

De contrato renovado, Jefferson não será um mero jogador. Capitão do Botafogo, o goleiro é visto pela diretoria como um porto seguro no elenco. Além de liderar os companheiros internamente, o jogador será responsável, indiretamente, para que novos reforços possam desembarcar em General Severiano ao longo da temporada, caso surja boa oportunidade de mercado – dentro da realidade financeira do clube, claro.

Por meio das redes sociais, Jefferson comemorou a renovação do contrato. “Torcida alvinegra, é com muito orgulho que comemoro aqui com vocês a minha renovação com o Botafogo. Sempre fiz questão de ressaltar que meu objetivo era terminar minha carreira vestindo essa camisa e durante todo esse tempo de negociação de contrato, sempre coloquei meu amor ao clube em primeiro lugar”, disse o goleiro.

“Quero agradecer de coração a todos os torcedores que me mandaram mensagens de carinho, incentivo e respeito durante esse período. Em breve estou me juntando aos meus antigos e novos companheiros para levar o Botafogo de volta ao lugar de onde ele nunca deveria ter saído. A torcida pode ter certeza que vamos trabalhar muito para colocar o clube novamente na primeira divisão e fazer com que o Botafogo retorne ao caminho de vitórias e títulos como condiz com sua gloriosa história”, concluiu Jefferson.

Fonte: UOL