O atacante Jobson deixou de ser prioridade para o Botafogo. Após um mês de atuações apagadas em meio ao fraco desempenho de toda a equipe no Campeonato Brasileiro, o camisa 10 retoma luta no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para poder continuar a jogar. O departamento jurídico alvinegro se envolvendo no caso, mas o assunto está longe de ser tratado como urgente pelo clube.

O clássico contra o Fluminense e a necessidade de reação imediata para evitar o rebaixamento para a segunda divisão pressionam o Botafogo e fazem a “novela Jobson” ser tratada como detalhe. O jogador vai ao Pleno do tribunal nesta quinta-feira, às 10h, para confirmar aval recebido para atuar.

O atleta e seus advogados se defendem de punição dada pela Federação de Futebol da Arábia Saudita por recusa a um teste antidoping, organizado pela entidade durante passagem pelo Al-Ittihad. A Fifa não reconhece a punição a Jobson, fato que o liberou para voltar a defender o Botafogo.

O sucesso obtido nos bastidores em primeira instância foi comemorado por Vagner Mancini, que chegou a dizer que “o Botafogo precisava mais de Jobson do que o Jobson do Botafogo”. A necessidade de ter uma referência na equipe fez com que a aposta estivesse toda no atacante.

A batalha jurídica e o contato quase diário com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) surtiram efeito. Após diversas tentativas frustradas, Jobson foi liberado para jogar. A força do Botafogo para resolver a pendência deixou Jobson satisfeito. Se antes treinava longe do grupo principal, agora era visto como fundamental a ponto de fazer o Alvinegro concentrar esforços em várias frentes.

A reestreia no Botafogo aconteceu contra o Sport, no dia 19 de outubro. Desde então, o camisa 10 entrou em campo em cinco oportunidades – três como titular – e não fez gols. A falta de ritmo de jogo e as constantes dores musculares atrapalham o desempenho do atleta, que não consegue confirmar expectativas na reta final do Brasileiro.

O planejamento do Botafogo segue em manter Jobson em condições de jogo. A esperança em ter o atleta como líder de uma recuperação no Brasileiro, no entanto, já não é mais a mesma. Tanto que o treinador alvinegro já ensaia Bruno Corrêa como referência no ataque do time, a sexta aposta do clube na temporada.

Após a derrota para o Atlético-PR, Jobson avisou. “É ter paciência, temos mais cinco jogos. Não sei nem o que falar. Não adianta jogar tudo em cima de mim, porque Salvador é só lá na Bahia”.

Com 33 pontos e na 18ª colocação do Brasileiro, o Botafogo inicia fase final de preparação para jogar clássico decisivo com o Fluminense. O duelo está marcado para as 19h30 deste sábado e também é visto como fundamental para o Tricolor, que busca vaga na Copa Libertadores de 2015.

Fonte: UOL