Jogos em casa só no Nilton Santos! Presidente descarta Maracanã e critica custo

Compartilhe:

O vice-campeonato não é a única lembrança ruim que o Botafogo leva da decisão do Carioca, domingo. Insatisfeito com o custo de utilização do Maracanã, o clube não pensa em voltar a atuar no estádio este ano, segundo afirmou, nesta segunda, o presidente alvinegro, Carlos Eduardo Pereira.

— Todos os jogos do Botafogo na Série B e na Copa do Brasil serão no Nilton Santos (Engenhão). Mesmo os jogos com maior apelo de público.

Por causa das obras na cobertura, o estádio ainda não pode receber sua capacidade total (45 mil lugares). No único clássico disputado no Nilton Santos no Carioca, a segunda semifinal entre Botafogo e Fluminense, a carga foi de 22 mil ingressos.

Domingo, apesar da renda de R$ 3.286.580,00 proporcionada pelos 58.446 pagantes, a cota destinada a cada um dos finalistas foi de R$ 771.557,93 (23,5% do total arrecadado). Ou seja, Vasco e Botafogo, juntos, ficaram com menos da metade da renda bruta. Somente o aluguel do Maracanã, que varia de acordo com o público da partida, consumiu R$ 563.266,51, equivalente a um terço da despesa total apresentada no borderô da decisão (R$ 1.687.496,21).

— O Maracanã é um estádio muito dispendioso. Basta olhar o borderô para ver quantos encargos temos de pagar. Quem quiser que jogue lá, mas ninguém é obrigado a mandar as partidas no Maracanã — disse o presidente alvinegro.

A final também ficou marcada por derrame de quase 200 ingressos falsos. A concessionária que administra o estádio rechaçou as acusações de torcedores que disseram ter comprado os bilhetes nos postos oficiais: “A alegação de aquisição de ingressos falsos nas bilheterias oficiais do Maracanã é leviana, irresponsável e não procede. A concessionária possui recursos para saber o local e o horário onde os ingressos foram comprados”.



Fonte: O Globo Online
Comentários