O Botafogo não logrou êxito na esfera judiciária e não conseguiu desbloquear a penhora de R$ 6,4 milhões na venda de Matheus Fernandes, originada em ação movida pelo técnico Oswaldo de Oliveira. O Tribunal Regional do Trabalho rejeitou nesta quinta-feira o recurso do clube.

Apesar de o Botafogo alegar que necessita da verba para o pagamento de salários, o juiz Marco Antonio Belchior da Silveira considerou que “não é crível que um Clube do porte do Botafogo dependa, para sua existência e continuidade, do não pagamento de uma ação trabalhista”. O juiz lembrou ainda que o clube vendeu Igor Rabello por R$ 13 milhões e que um dirigente deu declarações de que os salários já foram quitados.

O Botafogo ainda ofereceu um imóvel para penhora, mas o mesmo foi recusado pela Justiça, por haver a precedência de diversas outras penhoras sobre o mesmo local.

O jornalista David Nascimento, do Lance!, publicou a íntegra da decisão.

Fonte: Redação FogãoNET e Twitter do David Nascimento (Lance!)