Em entrevista à Rádio Globo nesta quinta-feira, o ex-diretor-geral do Botafogo Sérgio Landau defendeu-se das acusações da atual diretoria do Botafogo sobre o empréstimo contraído em 2013 e 2014 junto à Odebrecht no valor de R$ 20 milhões.

Para Landau, diretor na gestão Mauricio Assumpção, a notícia-crime impetrada pelo Botafogo é um “factoide” e afirmou que as pessoas que estão sugerindo que o fechamento do Estádio Nilton Santos tenha sido para beneficar a Odebrecht e o Maracanã têm mentes “pervertidas e doentias”.

– Dizer que o Botafogo tem um conluio com a Odebrecht e com a Prefeitura para favorecer o Maracanã só uma mente pervertida e doentia pode fazer um raciocínio como esse. Essa ilação, essa maluquice, é uma viagem! O Botafogo não tinha nenhum interesse (no fechamento do estádio), ele é o maior prejudicado nesse processo. A gestão do Mauricio (Assumpção) foi destruída pelo fechamento do Engenhão – disse Landau, afirmando ter recebido com surpresa a notícia sobre a denúncia do Botafogo:

– É uma surpresa. Não conheço os detalhes dessa notícia-crime ainda. O Engenhão fazia parte do grande projeto financeiro do Botafogo, tanto que nós o transformamos num ativo supervitário. De forma surpreendente, fomos convocados pelo prefeito Eduardo Paes porque havia uma notificação da Odebrecht no sentido de que havia um risco em relação à cobertura. Isso foi totalmente surpreendente para todos nós, levamos um susto. O Botafogo questionou junto ao prefeito e ele colocou de forma muito clara de que não poderia correr risco, que iria fechar o estádio.

Sérgio Landau diz que fechamento do Nilton Santos destruiu a gestão Mauricio Assumpção

Sérgio Landau enfatizou a todo momento que o dinheiro contraído no empréstimo (R$ 20 milhões) foi usado pela atual diretoria para quitar dívidas do clube. Por conta dos juros e correções, estima-se que a dívida do Botafogo com a Odebrecht referente a esse empréstimo já tenha ultrapassado os R$ 35 milhões.

– Os documentos estão dentro do Botafogo. Tanto é que o presidente Carlos Alberto (sic) deu uma entrevista no início do ano dizendo rigorosamente isso, que o dinheiro entrou corretamente dentro do Botafogo, só fez uma objeção de que se era o tipo de pagamento que ele faria, mas que foi em favor do Botafogo – afirmou o ex-dirigente, citando que outros clubes também pegaram dinheiro com a construtora:

– Era a única oportunidade de livrar o Botafogo de uma situação financeira pior. Todos os clubes pegaram dinheiro com a empreiteira no contrato do Maracanã, todos precisavam de dinheiro. O Botafogo mais ainda. o Botafogo não tinha recurso nenhum. O Maracanã precisava fazer contrato com os grandes clubes, o Botafogo fez contrato de 35 anos, entretanto com uma rescisão unilateral a favor do Botafogo com trinta dias de antecedência. Ou seja, embora fosse um contrato nominal de 35 anos, era um contrato de um mês. Até onde eu sei, o Flamengo já quitou esse empréstimo, e o Botafogo ainda não.

Além de Sergio Landau, foram citados na notícia-crime que o Botafogo impetrou junto à 5ª Delegacia de Polícia o ex-presidente Mauricio Assumpção, Benedito Junior (diretor-presidente da Odebrecht), Leandro Andrade Azevedo (diretor da Odebrecht) e João Borba Filho (presidente do Complexo Maracanã Entretenimento S.A.).

Fonte: Rádio Globo e Redação FogãoNET