Loco admite que errou ao sair do Botafogo, elogia Oswaldo e não descarta volta

Compartilhe:

Ainda no coração dos botafoguenses de todo o mundo, Loco Abreu completa, nesta quinta-feira, 37 anos. A história, em campo, pelo Alvinegro se encerrou no dia 6 de julho de 2012, porém a admiração pelo clube e pela torcida parece não ter fim. No dia de seu aniversário, o eterno camisa 13 abriu o coração e admitiu que tomou a escolha errada ao pedir para sair do Glorioso e acertar a transferência para o Figueirense. A saída deu-se de forma conturbada, com uma divergência de opiniões com o treinador Oswaldo de Oliveira. Segundo o técnico, Loco não se encaixava no esquema tático que enxergava como o ideal.

De cabeça quente, o uruguaio decidiu que seu ciclo estava encerrado. Porém, um ano e três meses e três clubes depois – Figueirense, Nacional-URU e Rosário Central (ARG) – admite: está arrependido.

– Admito que errei ao escolher sair do clube. Se fosse hoje em dia, não tomaria a decisão de sair. Foi um lugar que fui muito feliz, tenho muitos amigos. Até eu, prestes a completar 37 anos, posso errar. Faria algo diferente se passasse por esta situação atualmente. Não tem como voltar atrás, o erro foi feito. O passado e a lembrança que me confortam é saber que estou na história do clube – disse o ídolo, por telefone, ao LANCE!Net, com exclusividade.

E para quem acreditava que Loco Abreu guardava mágoa do treinador com quem entrou em rota de colisão, se enganou. Pelo contrário. Sereno, o uruguaio afirmou que acompanhou diariamente o drama que Oswaldo de Oliveira viveu (após sofrer uma arritmia cardíaca na partida contra o Grêmio, no Maracanã, e foi internado às pressas) e garantiu que torce pela plena recuperação.

– Acompanhei tudo sobre o drama do Oswaldo de Oliveira. Tenho grande respeito, por se tratar de um grande profissional e que tem feito um trabalho exemplar. Torço para recuperar sua saúde porque merece tudo de melhor. Não guardo mágoa. Na ocasião da minha saída, foi uma divergência de opinião. Ele acreditava que não me encaixava no esquema e achei que era melhor seguir minha vida em outro lugar – contou.

Após reconhecer o erro ao escolher deixar o clube em que virou ídolo, Loco não esconde que ainda sente saudades dos tempos de Botafogo e também não descartou um possível retorno. Segundo ele, mesmo com 37 anos, enquanto se sentir bem fisicamente, continuará jogando futebol profissionalmente:

– Não descarto (voltar ao Botafogo). Nunca imaginei que estaria de volta ao futebol argentino e estou no Rosario outra vez, por isso não posso descartar nunca uma volta ao Botafogo. Minha família e eu temos muitas saudades do Rio de Janeiro e, em especial, do Botafogo. É um clube que me acolheu muito bem, com uma torcida maravilhosa e de uma grandeza espetacular. Gostaria de voltar um dia e, se o convite aparecer outra vez, quem sabe não volto. Enquanto me sentir bem para jogar, vou seguir. Também não descarto voltar a viver no Rio de Janeiro após me aposentar.

Apaixonado pelo Rio de Janeiro e com o sonho de voltar a pisar no gramado do Maracanã – estádio em que ganhou de vez a torcida alvinegra com o gol de pênalti na final da Taça Rio, contra o Flamengo – o veterano atacante ainda alimenta o sonho de estar no Brasil disputando a Copa do Mundo do ano que vem. Mas para isso é preciso que seu seleção passe pela Jordânia, na repescagem.

– A seleção do Uruguai é muito forte e tem que estar focada para vencer a Jordânia. Se o Óscar Tabárez (técnico da seleção) contar comigo ainda, alimento sim o sonho de estar na Copa do Mundo, que é no Brasil e traz boas recordações para os uruguaios. Acredito que vamos à Copa e vou continuar fazendo a minha parte para estar no plantel do Mundial – comentou.

No Alvinegro, Loco Abreu disputou 107 jogos e marcou 63 gols, sendo o clube em que mais marcou gols em sua carreira, tendo uma média de 0,60 gol/jogo. O camisa 13 atuou no clube entre os anos de 2010 a 2012.

Fonte: Lancenet!

Comentários