O clima no Botafogo é de apreensão, apesar de os jogadores tentarem manter o otimismo em entrevistas e treinamentos. Comandante alvinegro, o técnico Vagner Mancini ressalta que a crise financeira coloca o clube no limite, sem saber qual será a perspectiva de futuro. O treinador ainda admite temer perder jogadores importantes do elenco em momento importante – quando o time tenta se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Atualmente, os atletas convivem com três meses de atraso salarial. O Alvinegro ainda deve pagamento de direitos de imagem há cinco meses e FGTS.

A debandada dos jogadores é um medo real. Destaque e capitão do time, Jefferson já é especulado pela imprensa portuguesa como alvo do Benfica. “A diretoria não se posicionou sobre desmanche. Mas, sinceramente, tenho que temer. Não tenho como ficar alheio ao que está acontecendo, pois a situação é gravíssima”, afirmou Mancini.

O treinador ressalta que existe um limite para lidar com os problemas financeiros e faz questão de destacar que os jogadores se esforçam dentro de campo, apesar das dificuldades.

“Tudo na vida tem um limite e não sabemos até quando ele vai. Nosso ambiente é maravilhoso, mas pode chegar um ponto em que vai ficar mais difícil. Mesmo assim, é importante saberem que a equipe está se empenhando ao máximo”, elogiou.

Durante o treinamento desta sexta-feira, torcedores reconheceram a dedicação dos atletas e deram apoio através de faixas.

“Não tenha dúvida que isso faz com que tenhamos um fôlego maior. Qualquer manifestação de apoio acaba confortando funcionários e jogadores que passam por essa situação e isso é bom. Espero que o apoio não pare e que o clube resolva o problema. Que chegue a solução e tudo volte ao normal”, torce Mancini.

Na 13ª colocação, com 12 pontos, o Botafogo enfrenta o líder Cruzeiro. Apesar do jogo importante às 18h30 deste sábado, no Maracanã, o assunto “crise financeira” toma conta do dia-a-dia alvinegro. Mancini espera por uma resolução do caso rapidamente.

“Sempre fui um cara otimista e estou fazendo com que meu limite seja o maior possível. Estou no clube há quatro meses, mas há jogadores sem salários há seis, então há a necessidade de uma decisão”, encerrou.

Fonte: UOL