Após ter a morte confirmada na última quarta-feira, o ex-goleiro do Botafogo Max será velado na sede do clube, em General Severiano. A data ainda não está confirmada, mas deverá ocorrer nesta sexta-feira. A família decidiu doar rins e fígados do ex-jogador, que segue os trâmites ainda no Hospital da Lagoa, onde veio a óbito.

Os órgãos já foram entregues ao Rio Transplantes, e a família de Max aguarda questões burocráticas para saber onde será o enterro do ex-goleiro do Botafogo.

O Botafogo reservou algumas homenagens a Max. Antes da partida contra o Atlético-MG, na última quarta-feira, o Nilton Santos cumpriu um minuto de silêncio, que foi transformado em um minuto de salva de palmas.

Além disso, Jefferson, que havia sido companheiro de Max na primeira passagem pelo Botafogo, em 2003, atuou com o nome do amigo na camisa. A torcida gritou bastante o nome do ex-goleiro antes do início da partida.

O Botafogo deixou o casarão de General Severiano à disposição da família de Max, que aceitou a oferta. Por conta do local do enterro ainda não ter sido definido, o dia do velório também carece de confirmação, embora deva ser nesta sexta-feira.

Max sofreu uma tentativa de assalto em junho e sofreu uma fratura na mão devido ao impacto da colisão entre seu carro e dos criminosos. Duas semanas depois, no entanto, ele acordou desorientado com muitas dores na cabeça.

Levado a um neurologista, foi internado no Hospital da Lagoa, onde ficou por 30 dias, sem ter seu caso solucionado. Inicialmente, os médicos desconfiavam que o edema cerebral havia sido causado na colisão.

A carreira

Maxlei dos Santos Luzia, o Max, foi revelado pela Portuguesa, da Ilha do Governador (RJ), em 1995. De lá, passou por clubes como Bangu, Friburguense e América até desembarcar no Botafogo, em 2002. No Alvinegro, ficou até 2008, tendo feito 85 jogos e sido titular na campanha do vice-campeonato da Série B, em 2003, e campeão carioca de 2006 e da Taça Guanabara de 2007, alternando momentos na reserva e entre os 11.

Na sequência da carreira, o goleiro se firmou por mais tempo no Vila Nova (GO), mas também passou Itumbiara, Joinville, Boa Esporte e Gama. Há três anos ele estava desempregado.

Fonte: UOL