O Milan demitiu o treinador Massimiliano Allegri após a virada histórica sofrida para o modesto Sassuolo, na derrota por 4 a 3 no último domingo. A demissão foi confirmada pelo clube por meio de um comunicado oficial. O meia Seedorf aparece na imprensa italiana como cotado para ficar com a vaga, que será ocupada de forma provisória por Mauro Tassotti.

“O Milan comunica que demitiu o treinador de sua equipe profissional, Massimiliano Alegri, e sua comissão, com efeito imediato. O Milan gostaria de agradecer ao senhor Alegri e sua equipe pelo trabalho realizado e desejar o maior sucesso profissional. O time será provisoriamente treinado pelo senhor Mauro Tassotti.

Segundo o jornal La Gazzetta dello Sport, o meia Seedorf é o principal nome para assumir o clube. A procuradora do holandês, Deborah Martin, disse à publicação que o jogador tem um dispositivo no contrato que o permite deixar o clube carioca para treinar outro time.

“Existe uma cláusula que permite deixar o clube a qualquer momento, sem multa, a menos que vá jogar em algum outro clube. Queria apenas sublinhar que Seedorf agora tem todas as credenciais necessárias para treinar um clube e fez todos os passos necessários, seja na Holanda, seja no Brasil”, disse a procuradora, segundo o jornal italiano.

Na partida que causou a demissão de Alegri, o time rossonero chegou a abrir 2 a 0 com 15 minutos de jogo, em atuação muito contestada por Bárbara Berlusconi, filha do dono do clube e ex-namorada de Alexandre Pato, após o jogo.

Bárbara, que é vice-presidente do Milan, havia cobrado mudanças no time em entrevista à agência Ansa logo depois da derrota. “Uma noite decepcionante como tem sido outras, o que confirma que é necessário uma mudança urgente, com a contribuição de todos os envolvidos. Não podemos tolerar que nosso torcedores vejam atuações como essas”, disse a dirigente.

Massimiliano Alegri estava no comando do Milan há três anos e já tinha sua saída programada para o final desta temporada. No domingo, ele havia deixado a decisão para a direção do clube. “Estou saindo no final do ano e todo mundo sabe disso. Qualquer outra decisão cabe à empresa. Falei com Galliani (vice-presidente da equipe), mas apenas do jogo. Manterei a calma e não tenho arrependimentos sobre meu trabalho”, afirmou o treinador.

Segundo o site de estatísticas Infostrada, o Milan não sofria uma virada após abrir 2 a 0 há 12 anos, quando a Udinese fez 3 a 2 na equipe.

Fonte: UOL