Após perder a primeira eleição nos últimos 20 anos, Carlos Augusto Montenegro segue prestigiado no Botafogo. Líder de um influente grupo de torcedores que ajudam o clube financeiramente, o ex-presidente é visto como um bom aliado pelo presidente Carlos Eduardo Pereira. O problema é que Carlos Alberto Torres, Capitão do Tri e que captará verba para o Alvinegro em 2015, entrou em rota de colisão com Montenegro.

A troca de farpas não é bem vista pelo Botafogo, que enfrenta grave crise financeira. Para Carlos Eduardo Pereira, o momento é de união já que a situação do clube é mais complicada do que ele esperava antes de assumir o Alvinegro. Ele deixa claro que precisa de todo mundo junto para tirar o clube do fundo do poço.

A rixa começou quando Carlos Augusto Montenegro criticou o elenco do Botafogo e foi rebatido por Carlos Alberto Torres. O ex-presidente não poupou o rival de críticas e disse que pela primeira vez em 20 anos fará papel de oposição na política do clube.

“O Montenegro não está à disposição do Carlos Eduardo ou do Botafogo. A situação do clube é dificílima. Carlos Eduardo militou mais na oposição. Sempre foi muito duro e crítico. Pela primeira vez em 20 anos ele passa a ser vidraça e não mais pedra. Vou fazer oposição, mas no meu estilo. Tudo que eles pregaram queria que fizessem. Não vou ajudar porque o Botafogo precisa se virar sozinho. Estou cansado. Já fiz muito, ajudei. Pretendo não ajudar em nada. Vou tirar férias e depois vou ser oposição”, disse Carlos Augusto Montenegro à Rádio Manchete.

“O que o Carlos Alberto fala entra por um ouvido e sai por outro. Ele nem tem muito a ver com Botafogo, mas com Santos, Fluminense e Cosmos. Eu vou tirar férias. Claro que abandonar não acontece, mas vou fazer com que as pessoas se virem. Tem gente boa lá. Vou ser um simples torcedor sofrido”, completou o ex-presidente.

Carlos Alberto Torres não gostou e rebateu. Ele fez graves acusações a Montenegro. Para o ministro do esporte do Botafogo, o ex-presidente está torcendo contra a nova diretoria para que o clube sinta sua falta e dos tradicionais torcedores ilustres.

“Eu devo dizer que tenho muito orgulho de ter sido jogador do Botafogo, técnico em conquista inédita [Conmebol] e ter ajudado em outras oportunidades. Não vai me atingir nunca as palavras do Montenegro. Eu sou do bem e ele não é. Eu sou da seleção, ele é do Ibope, que erra para caramba nas pesquisas. Me coloquei à disposição para ajudar, enquanto ele e outros botafoguenses se afastaram, não deram as caras. Parece que ele quer que o Botafogo feche as portas”, desabafou o Capitão do Tri.

A realidade é que Montenegro ficou abalado com a derrota nas eleições e fará papel de oposição pela primeira vez em 20 anos. Isso não deverá mudar pelos próximos três anos, quando haverá novas eleições. O ex-dirigente não deverá mudar de ideia, principalmente por Carlos Eduardo ter feito muitas críticas nos últimos anos.

Fonte: UOL