Nelson Mufarrej será o candidato da situação na eleição; CEP será o vice-geral

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira não se candidatará à reeleição, em novembro. No entanto, sairá como candidato a vice-presidente. O cabeça de chapa nas próximas eleições, que ocorrem em novembro, será Nelson Mufarrej, que atualmente ocupa o cargo de vice-geral do clube. Na prática, será uma troca dos dois principais cargos. O presidente do conselho deliberativo, nessa chapa, continuaria sendo Jorge Aurélio Domingues.

A decisão foi anunciada em reunião de um grupo de sócios do clube, o “Mais Botafogo”.

Havia uma expectativa pelo anúncio. A sua gestão até aqui, que tem alta popularidade, indicava que uma candidatura ocorreria. No entanto, alguns fatos traziam dúvidas até para pessoas de dentro do clube. Em 2014, durante a campanha em que se elegeu, CEP se declarou contrário à reeleição. Além disso, durante o exercício da presidência, ele enfrentou alguns problemas pessoais que podem ter causado um esgotamento. O que se diz é que um cargo desse tipo causa um alto desgaste.

Em caso de vitória da situação, a expectativa é que poucas mudanças sejam feitas na diretoria do clube.

A chapa de oposição está praticamente definida: o advogado Marcos Sodré será o candidato à presidência. O candidato a vice-geral é Durcésio Mello, que já se candidatou em 2014 como vice de Thiago Alvim. A informação sobre a chapa alternativa foi antecipada pelo blog “Um facho de luz”, do “Globoesporte.com”, e confirmada pelo EXTRA.

Espera-se que a disputa restrinja-se a essas duas chapas. A oposição planeja se unir em torno de um candidato, com uma “chapa alternativa”. Todos os derrotados há três anos – o próprio Thiago Alvim, Vinícius Assumpção e Marcelo Guimarães – devem se unir. A tônica deve ser de críticas pontuais à gestão do atual presidente Carlos Eduardo Pereira, considerada positiva até pela maioria dos opositores.

A eleição ocorre no dia 25 de novembro, um sábado, em General Severiano. Esta eleição ainda ocorre sob o antigo estatuto, portanto os sócios-torcedores ainda não poderão votar e o mandato do eleito será de três anos. Para as eleições de 2020, as mudanças do estatuto aprovado este mês já valem – o mandato do presidente eleito nesse pleito será de 4 anos e os sócios-torcedores terão direito a voto.

Notícias relacionadas