Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Taça Rio

09/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Nova Iguaçu
NOV

X

Escudo Botafogo
BOT

Carioca

02/05/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

0

X

0

Escudo Nova Iguaçu
NOV

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

4

X

0

Escudo Macaé
MAC

Niltão: Presidente descarta mandar jogos fora do Rio e faz críticas à Prefeitura

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Em setembro, o SECPAR (órgão da prefeitura) enviou uma notificação ao Botafogo avisando que os setores Norte e Sul do Nilton Santos seriam interditados em outubro para obras das Olimpíadas, o que geraria uma redução na capacidade do estádio. Isso acarretaria num problema: o setor Sul é destinado às torcidas adversárias.

Diante disso, o clube já tinha em mãos uma autorização para aumentar de 25 mil para 35 mil a capacidade do estádio, utilizando os setores leste e oeste. Para a capacidade acontecer, o Alvinegro tem que pagar uma taxa que considera alta e desnecessária: de 150 a 180 mil reais. Isso porque, além do preço, o time só fará mais cinco jogos em seus domínios na Série B e, depois disso, só voltará a poder utilizar o estádio depois dos Jogos Olímpicos de 2016.

Em exclusiva à reportagem da Super Rádio Tupi, o presidente Carlos Eduardo Pereira admitiu que está estudando a possibilidade de mandar três jogos neste final de ano pro Maracanã: os confrontos contra Bahia, Santa Cruz e América-MG.

“O Botafogo está tentando evitar que o estádio sofra, mais uma vez, uma interferência nociva e negativa por parte da prefeitura, que demonstrou interesse de interditar nossos setores norte e sul. Isso limitaria, praticamente, a capacidade do estádio em 50%. Para que o clube pudesse conseguir do corpo de bombeiro uma licença para utilização completa das partes superiores, precisaríamos pagar um laudo que custa entre 150 e 180 mil reais, válido por um ano. Ocorre que vamos usar o estádio por dois meses. Depois, será entregue ao COI. Portanto, será uma despesa absurda, muito grande, que não tem sentido o Botafogo fazer. Se a prefeitura quiser assumir o pagamento desse laudo, tudo bem. Mas não vamos ficar animados, porque até hoje a Prefeitura nunca mostrou querer ser parceira do Botafogo. Portanto, quando houver um jogo de maior nível daqui pra frente existe um estudo da nossa parte de levarmos para Maracanã. Mas é apenas um estudo. Não há nenhuma confirmação e definição. Vamos por passo. Estamos dependendo da definição da tabela e dos desdobramentos dos jogos. Vamos com cautela”, afirmou.

O presidente explicou que a diretoria está tentando impedir que os setores norte e sul não sejam interditados contra Bragantino e Ceará.

“Vamos tentar e vamos procurar com todos os direitos que temos ao nosso alcance para que o estádio esteja com toda a capacidade disponível. Se não for possível, abriremos os setores leste e oeste, e tentaremos fazer o que de melhor tiver ao nosso alcance para acolhermos o nosso torcedor”, disse.

O dirigente destacou um compromisso particular assumido para com a torcida: o Botafogo não vai jogar fora do Rio de Janeiro nesta reta final da segundona  nacional.

“Não existe (a possibilidade de jogar fora do Rio). O compromisso do Botafogo este ano com a sua torcida é não apenas retornar à Série A, mas retornar ganhando o título da Série B. Portanto, nossa concentração será completa em relação ao título. Apenas com o título garantido que iremos relaxar. Mas nosso compromisso com o sócio-torcedor é realizar todas partidas que seremos mandantes no Rio de Janeiro”, concluiu.

O Botafogo é líder isolado da Série B com 56 pontos, quatro a mais que o Vitória, e está próximo de confirmar o retorno. O time volta a campo no dia 20 contra o Ceará, no Engenhão, às 21h.

Notícias relacionadas
Comentários