O reforço estrutural da cobertura do Engenhão vai atrasar mais um mês. Apesar da prefeitura ter negado o atraso no cronograma, nesta quinta-feira, o consórcio Engenhão (Odebrecht e AOS) deve divulgar uma nota na qual diz precisar de mais um mês para finalizar a obra, que está custando mais de R$ 150 milhões. Com isso, o estádio – que vai ser palco do futebol e do atletismo na Rio 2016 – deveria ter sido completamente liberado em novembro de 2014, mas já tem nove meses de atraso. O prazo final era 31 de julho, sexta-feira, porém os engenheiros do consórcio não conseguiram desmontar as torres de sustentação da cobertura e nem instalar os refletores.

O atraso era esperado porém não era oficialmente confirmado pelo prefeitura. Hoje, apenas oito das 34 torres de sustentação da cobertura começaram ser desmontadas. O processo é demorado e não será concluído em dois dias. Até setembro, o estádio não terá os seus 45 mil lugares liberados para o público. No dia 12 de junho O GLOBO, já havia dito que a data não seria cumprida.

Além de dificultar a vida do Botafogo que sofre com a dificuldade de fechar patrocínios por causa da intervenção, o atraso pode prejudicar a outra obra que acontece no Engenhão. O estádio olímpico está sendo modernizado para os Jogos em uma obra paga pela prefeitura que está custando R$ 52 milhões. Nessa nova intervenção está prevista troca de toda a iluminação, sistema de som e tecnologia de celular que ficam presos na cobertura.

A prefeitura negou saber do atraso e ficou de apurar o caso.

Fonte: O Globo Online