Em pronunciamento oficial reproduzido pelo site Globoesporte.com na noite desta terça-feira, a Odebrecht, empresa concessionária do Maracanã, revelou ter entrado na Justiça neste mês de outubro pedindo a restitução de R$ 20 milhões ao Botafogo, acrescida de juros e correção.

O valor é referente ao empréstimo contraído em 2013, na gestão Mauricio Assumpção, e estima-se que o valor atualizado esteja na casa dos R$ 35,5 milhões. O Botafogo contesta e entrou nesta terça com uma notícia-crime junto à 5ª DP contra Assumpção, Sérgio Landau, Benedito Barbosa da Silva Junior (Diretor-Presidente da Odebrecht), Leandro Andrade Azevedo (Diretor da Odebrecht) e João Borba Filho (Presidente do Complexo Maracanã Entretenimento S.A.).

– A Odebrecht não tem conhecimento do procedimento noticiado. A empresa firmou contrato lícito de empréstimo com o Botafogo em 2013 e, como não houve pagamento por parte do Clube, a Odebrecht ajuizou ação de cobrança em outubro, tendo o juiz determinado a citação do Botafogo, na última sexta-feira – respondeu a construtora por e-mail ao Globoesporte.com.

Na notícia-crime, o Botafogo argumenta que o contrato de empréstimo foi assinado em condições suspeitas e com graves prejuízos ao clube. O Alvinegro desconfia que o fato tenha sido uma manobra da Odebrecht para justificar a interdição do Estádio Nilton Santos e beneficiar o Complexo Maracanã S.A, consórcio da qual a contrutora também faz parte.

Fonte: Redação FogãoNET e Globoesporte.com