O Botafogo espera que 2014 seja um ano de boas noticias com relação ao Engenhão. Além da reinauguração, o clube prevê fechar acordo na questão do naming rights (direito de nomear) do estádio. As negociações ocorriam até mesmo enquanto a arena estava interditada, mas foram paralisadas por um pedido dos patrocinadores em potencial, sendo adiada para o ano que vem.

Inicialmente, o Botafogo trabalhava com três empresas: Caixa, Itaipava e Volkswagen. A primeira, no entanto, apresentou a melhor proposta, além do objetivo de ampliar o acordo também para a camisa, o que agrada o Alvinegro. A oferta gira em torno dos R$ 75 milhões pelos próximos cinco anos apenas para ter o direito de nomear o Engenhão, que passaria a se chamar Arena Caixa.

“O Botafogo nunca parou de buscar alternativas. Queríamos fechar um contrato já para essa temporada, mas não conseguimos. Os patrocinadores sabem que o Engenhão não ficará fechado para sempre e quem sair na frente agora pode levar vantagem nas negociações. Eles sabem disso. Mesmo assim, preferiram não avançar nas negociações. Pediram uma pausa até janeiro, quando as conversas serão retomadas. Nosso objetivo é chegar a um acordo o mais rápido possível, mas acho que essa questão só será resolvida mesmo para o segundo semestre de 2014”, disse o diretor executivo do Botafogo, Sérgio Landau, ao UOL Esporte.

E o Botafogo tem motivos para estar empolgado. Uma das principais críticas com relação ao Engenhão era o entorno. Porém, a Prefeitura do Rio investirá R$ 130 milhões  para a realização de obras com o objetivo de melhorar o funcionamento nas ruas, que não conseguem manter o trânsito no local fluente.

“Esse problema será resolvido com esse investimento. Mas ao contrário do que pensam, esse investimento não fará o Botafogo ganhar mais dinheiro com o Engenhão. Acreditamos que com essa verba, conseguiremos fechar com as empresas com maior facilidade, já que era algo que atrapalhava nas negociações”, afirmou.

O Botafogo tinha o objetivo de fechar o acordo pelo naming rights ainda neste ano, mas as conversas não ocorreram como a diretoria esperava e tudo foi adiado para o ano que vem. Mesmo assim, o Alvinegro está animado com as negociações e vê como fundamental para o orçamento de 2014 a verba do Engenhão.

Fonte: UOL