Embora tenha saído do Botafogo reclamando de cortes, o ex-gerente técnico de futebol Sidnei Loureiro recebeu aumento em 2014 e ainda receberá a multa rescisória pela demissão. Promovido a treinador, Eduardo Hungaro também teve reajuste e continuou com o mesmo salário mesmo após ser rebaixado a auxiliar. A informação é do site “Globoesporte.com”.

O site diz que o departamento de futebol queria um aumento de R$ 5 milhões para R$ 7 milhões na folha salarial, enquanto o clube queria reduzir pela metade. No fim, o orçamento aumentou para 2014. Apesar de uma série de demissões, foram contratados auxiliares e distribuídos reajustes.

Um estudo da empresa KPMG revelou que o Botafogo precisa de R$ 200 milhões para sobreviver e competir em 2015, sendo que precisaria de mais R$ 65 milhões este ano, sem haver precisão de novas receitas.

Fonte: Redação FogãoNET