O Corinthians está desanimado com a negociação que envolve Emerson Sheik e o Botafogo. A demora para obtenção das garantias financeiras dão aos paulistas a impressão de que o acordo pode não sair. Isso não significa, porém, que o atacante pode voltar ao time de Mano Menezes.

Emerson não treina no gramado com os companheiros desde o dia 29 de março, portanto há uma semana e meia. Nos três últimos dias, sequer apareceu no CT Joaquim Grava, situação que deve se repetir ao menos até o fim da semana.

A avaliação da diretoria e da comissão técnica é de que não há clima para que ele retorne. Ao longo desses dias, companheiros já falaram em tom de despedida, o clube já admitiu o interesse em negociá-lo e o atacante também não deu nenhum sinal de que pretende voltar a trabalhar com Mano Menezes e companhia.

A prioridade segue sendo a negociação com o Botafogo, que está acertado com o Corinthians e o próprio Emerson para ter o jogador por empréstimo até o fim do ano. O Sheik seguiria recebendo seus R$ 500 mil do clube do Parque São Jorge que, por sua vez, receberia metade desse valor do clube carioca.

O problema é que, como o Botafogo vive problemas financeiros, o Corinthians exige garantias financeiras para selar o acordo. A diretoria de General Severiano, até agora, não apresentou os documentos. Há quem acredite, dentro do Parque São Jorge, que os cartolas estavam esperando a definição da situação do time, ameaçado de eliminação, na Copa Libertadores.

De qualquer forma, o pessimismo é forte no Corinthians, e os dirigentes entendem que o Botafogo não conseguirá as garantias. Desse modo, a situação de Emerson voltaria alguns passos. Mais uma vez, o empresário do jogador seria comunicado de que está livre para buscar um novo clube para o atacante. Caso não consiga, as partes devem falar sobre os termos de uma possível rescisão amigável de contrato.

Fonte: UOL