De acordo com o dirigente, a negociação para tentar renovar com Roger começou há  40 dias. Em uma primeira conversa, as partes chegaram a um acordo verbal. Mas logo após, o atacante pediu novos valores no contrato e  a Ponte fez uma contraproposta, chegando ao que foi pedido pelo atleta e praticamente fechou a sequência do jogador em reunião na última segunda-feira.

Tanto que Gustavo Bueno disse, em entrevista no mesmo dia, que estava finalizando o processo. Após o treino, porém, Roger, ainda segundo o gerente, procurou um integrante da comissão técnica e disse que, apesar do acerto com a Ponte Preta, já tinha assinado um pré-contrato com o Botafogo.

“Foi uma atitude que nos pegou de surpresa, que a diretoria não esperava, e que acabou culminando com a rescisão de contrato. Então, pela semana que consideramos importante, entendemos pelo desligamento. Ficamos chateados com a situação. Tenho uma relação antiga com o Roger. Talvez se não tivesse essa exposição, a viagem para o Rio, conseguiríamos conduzir internamente, como já fizemos outras vezes. Sabemos da liderança e do comprometimento do Roger, mas decisões precisavam ser tomadas”, afirmou Gustavo.

Assim, chega ao fim a quarta passagem de Roger pela Macaca, onde foi revelado para o futebol no início dos anos 2000. Ao todo, o atacante tem 47 gols pela equipe de Campinas e será o primeiro reforço do Botafogo para a temporada de 2017.

Fonte: O Dia Online