Termina nesta sexta-feira o prazo para os clubes da Série A do Brasileiro inscreverem novos jogadores na competição.

Para muitos torcedores significa também a oportunidade final de ver o time para que torcem melhorar e mudar de rumo no torneio. Por conta disso, o ESPN.com.br listou abaixo o que cada equipe necessita para completar o elenco e (tentar) sorrir ao final da competição.

  • Atlético-GO

Lanterna do Brasileiro e em situação bem delicada, o Atlético-GO já foi ao mercado.

Nas últimas semanas, chegaram o zagueiro Dedé Silva, ex-Santos-AP, os volantes Ronaldo, ex-Flamengo, e João Victor, ex-Globo-RN, e do atacante Alison, que já jogou pela equipe e voltado agora, dessa vez emprestado pelo Náutico.

Contudo, Dedé Silva e João Victor devem ter poucas oportunidades para jogar. Eles têm 22 e 20 anos, respectivamente, e ficam até o final da temporada. Chegaram para o que a comissão técnica chama de “período de testes”. Se forem aprovados, eles serão contratados de forma definitiva.

Será que quatro contratações são suficientes para o Atlético-GO escapar do rebaixamento?

  • Atlético-MG

Décimo colocado no Brasileiro, não é um absurdo afirmar que o time alvinegro tem deixado a desejar em 2017. A equipe iniciou a temporada com expectativa de brigar por títulos, de ser protagonista, mas terá de se confirmar em lutar por uma vaga na próxima Copa Libertadores.

As posições que o time mais necessita são um volante com as características do Rafael Carioca, que foi para o Tigres, do México. O técnico Rogério Micale também necessita de mais um atacante rápido pelos lados. Hoje, as opções são Robinho e Luan.

  • Atlético-PR

Ainda em julho, o Atlético-PR trouxe quatro reforços: o lateral esquerdo Fabrício, o volante Esteban Pavez e os atacantes Ribamar e Lucas Fernandes. Eles têm ido bem, caíram no gosto do técnico Fabiano Soares e é difícil imaginar o clube buscando mais peças.

Grafite deixou o clube em agosto, com apenas um gol em 24 jogos. Não teve um bom desempenho e, de qualquer forma, já vieram dois atacantes.

  • Avaí

O time trouxe o meia colombiano Bryan Urueña, que deve estrear neste fim de semana. Mas ainda buscava um outro meia e um atacante.

Entre as tentativas, falou-se em Chico, meia do CRB,  Mancuello, meio-campista do Flamengo, Clayton, atacante do Atlético-MG, Tiago Luís, do Goiás.

Mas aparentemente não chegará mais ninguém.

  • Bahia

O time de Salvador tem carência nas duas laterais.

Na direita, o titular é Eduardo, que não é uma unanimidade entre os torcedores e sofre críticas. A alternativa seria Wellington Silva, que não jogou neste ano por seguidos problemas de lesão. A diretoria até trouxe Régis Souza em junho, mas ele foi dispensado em agosto com apenas dois jogos.

Na esquerda, o Bahia trouxe Armero, mas ele não tem convencido. Também chegou Matheus Reis, emprestado pelo São Paulo, mas  é outro que a torcida não confia. Juninho Capixaba, cria da base, tem jogado, ido bem e a ganhado a confiança da torcida, mas teve poucas oportunidades e, por ser jovem, seria bom uma alternativa.

  • Botafogo

Surpresa da temporada, o time alvinegro tem superado muitos limites. Foi assim que chegou a semifinal da Copa do Brasil, que está nas quartas de final da Copa Libertadores e que ocupa, agora, a sétima colocação do Campeonato Brasileiro.

Jair Ventura sempre demonstrou confiança e contentamento com o elenco que tem em mãos. A principal necessidade é um meia-armador. Desde a saída de Montillo (que se aposentou) há uma carência. O time tem improvisado João Paulo no setor.

  • Chapecoense

Primeira equipe fora da zona de rebaixamento, a Chapecoense precisava de substituto para o zagueiro Victor Ramos, mas contratou na última semana. Douglas foi emprestado pelo São Paulo e já está liberado para jogar. Também trouxe o volante Elicarlos, ex-Santa Cruz.

  • Corinthians

Líder do Brasileiro com sete pontos de vantagem e tranquilo na ponta da tabela desde a quinta rodada. Sim, é verdade. Mas isso não significa que o time corintiano não precise de reforços para a sequência da competição.

Um reserva para o lateral esquerdo Arana e outro para o atacante Jô são as necessidades. Isso porque Moisés e Kazim não tem conseguido dar conta do recado quando entram no time e deixam muitos torcedores de cabelo em pé nas arquibancadas.

  • Coritiba

Parece que o time coxa-branca já fechou o elenco. Nas últimas semanas chegaram:  o zagueiro Cléber e o meia Rafael Longuine, ambos do Santos.

A equipe até gostaria de mais um meia e tentou Hyoran, do Palmeiras, mas não conseguiu avançar na negociação.

  • Cruzeiro

O finalista da Copa do Brasil não tem muito o que acertar. O que falta é um zagueiro.

Os titularias seriam Manoel e Dedé, mas o primeiro se machucou e não jogará mais nesta temporada. As opções são Léo, Digão, Murilo e Arthur, este último um garoto da base. Mas o sentimento de muitos torcedores é que falta alguém com mais bagagem.

Para outras posições não. O Cruzeiro tem dois goleiros de bom nível. Dois laterais para cada setor. Bons volantes, bons meias e bons atacantes.

  • Flamengo

O time rubro-negro tem um dos melhores elencos do Brasil, mas não significa que não existam carências.

No caso, o problema é a posição de primeiro volante. Rômulo chegou no começo do ano, mas não conseguiu se firmar. Ficou tecnicamente abaixo do potencial. Virou reserva. Márcio Araújo ganhou a vaga, mas é rejeitado por boa parcela da torcida. Cuéllar, que vem sendo titular com Reinaldo Rueda, agora parece estar se firmado, mas antes não conseguia justificavas para ser titular. E Willian Arão como primeiro volante sempre foi um desperdício, tendo em vista que ele joga melhor tendo liberdade para ir ao campo de ataque, dar assistências e até finalizar ao gol adversário.

Pelo histórico da temporada, por mais que Cuéllar esteja indo bem agora, não seria exagero nenhum o Flamengo buscar um primeiro volante.

  • Fluminense

Um goleiro e mais um zagueiro, pelo menos. Mas, se insistir no questionamento, muito torcedor tricolor vai querer um time novo.

De fato, a temporada tem sido bem decepcionante. Mas os problemas maiores estão na vaga na defesa, uma das piores do Brasileiro. Os goleiros Júlio César (titular) e Diego Cavalieri não vivem boa fase. A zaga  tem como titulares Henrique (capitão) e Renato Chaves, mas Reinaldo chegou a ser titular, assim como Nogueira e Frazan. A impressão geral é que nenhuma formação acertou e o time continua com dificuldades defensivas.

  • Grêmio

Vice-líder do Brasileiro, a maior carência do time gremista (que é uma equipe bem consiste) é um substituto para Pedro Rocha, que foi negociado com o Spartak Moscou, da Rússia, na última semana. O atacante tem muita qualidade e não será fácil achar um substituto em pouco tempo.

Volante poderia ser uma posição carente, mas o Grêmio trouxe Cristian, que já havia sido descartado pelo Corinthians. Será que ele dará conta?

  • Palmeiras

Pergunte para qualquer palmeirense o que mais o incomoda no time e a resposta será Egídio. De fato, a lateral esquerda é um problema para o time. O ex-cruzeirense é alvo frequente de críticas dos torcedores. Aos 43 anos, Zé Roberto já não tem o fôlego de um lateral de ponta. O meia Michel Bastos e o zagueiro Juninho já foram improvisados no setor, mas também não conseguiram atuações que justificassem tranquilidade para os torcedores.

O lado direito também é um problema. Hoje tem jogado Mayke, que ficou com a vaga desde que Jean se machucou.  Fabiano, que seria uma opção, não convence. Tamanha dificuldade no setor fez Cuca improvisar o volante Tchê Tchê no setor, mas não agradou.

Depois das laterais, o que mais incomoda o palmeirense é o centroavante. Borja não vingou como se esperava. Deyverson veio como emergência, mas não está correspondendo ao que a torcida espera. Talvez seja uma posição para o time já pensar em nomes que possam resolver.

Palmeirenses mais exigentes vão pedir pelo menos um zagueiro. O motivo é a lesão de Mina, que fraturou o pé e só retornará no fim da temporada, criou um problema. Edu Dracena não tem conseguido apresentar uma sequência segura. Luan idem. Já Juninho e Antônio Carlos não convenceram.

  • Ponte Preta

O atacante Léo Gamalho, ex-Goiás, chegou há alguns dias. Mas os torcedores sentem que é o setor mais carente, especialmente de velocidade. As opções no elenco são Maranhão e Claudinho, que estão bem distantes de alegrar à torcida.

Mas é mais um clube que dificilmente apresentará novidades nesta sexta-feira.

  • Santos

Nas quartas de final da Copa Libertadores e na terceira colocação no Brasileiro, o Santos necessita de um reserva para Lucas Lima. Quando o jogador não está em condições de jogar, o time perde muito. Entram Léo Cittadini, Vecchio, para citar os principais.

Alguns santistas também sentem que é necessário um substituto para Zeca. O clube até tem Caju, que quase saiu na última janela de transferências, mas acabou permanecendo no time. Mesmo assim a avaliação geral é que o jogador não consegue suprir o titular.

  • São Paulo

Com a troca de Renan Ribeiro para entrada de Sidão, que não vive bom momento, e a iminente saída de Denis, que não terá o contrato renovado, é bem nítido que o São Paulo necessita de um goleiro. Os que fazem parte do elenco atual não inspiram confiança.

A lateral direita é outro problema para os são-paulinos. Dificilmente se encontrará um defensor de Bruno e Buffarini. Na esquerda, Júnior Tavares, que até começou bem em 2017, e Edimar também não tem convencido.

A zaga titular é de seleção, com Rodrigo Caio (Brasil) e Aborleda (Equador), mas não tem passado confiança aos torcedores. Na reserva, Lugano (ídolo para os são-paulinos), Aderllan e Bruno Alves deixam a desejar quando jogam. O

Por isso, o setor defensivo é o que mais requer atenção no clube tricolor.

  • Sport

O presidente do clube, Arnaldo Barros, disse que a equipe não pretende fazer contratações.  O técnico Vanderlei Luxemburgo também disse no último fim de semana que procuraria soluções dentro do elenco rubro-negro, descartando novas investidas.

O Sport precisa de um meia. Diego Souza está oscilando muito e Wesley, recém chegado, não transmite garantias de bom futebol. Torcedores mais críticas, contudo, cobram reforços para a zaga, para a posição de volante…

  • Vasco

Com a lesão de Luis Fabiano no joelho, qualquer vascaíno quer hoje um centroavante capaz de fazer gols e tirar o time da parte baixa da tabela.

Mas é certo que o time precisa de outras melhorias nas laterais, na zaga, no meio de campo…

O time não é tão forte, tem sofrido bastante e até o final do campeonato vai brigar para evitar o rebaixamento.

  • Vitória

Nos últimos seis jogos, o time rubro-negro conseguiu quatro triunfos e um empate, tendo perdido somente uma vez. Vem em ascensão e conseguiu sair da zona de rebaixamento. Vagner Mancini não tem pedido jogadores. Pelo contrário, tem demonstrado confiança no elenco que tem.

Receosos, os torcedores gostariam de ver reforços. O time tem deficiências em todos os setores, mas certamente é na criação que deixa mais a desejar.

Fonte: ESPN.com.br