O Botafogo recebeu uma boa notícia nesta sexta ao saber que poderá jogar sua estreia no Carioca no Engenhão após reunião com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. E foi o mesmo político, que, horas depois, jogou uma ducha de água fria nas pretensões do Alvinegro de mudar o nome do estádio, outro pedido feito pelo presidente Carlos Eduardo Pereira.

Em contato com o UOL Esporte, a assessoria da prefeitura do Rio de Janeiro descartou a possibilidade de o Estádio Olímpico João Havelange passar a se chamar Estádio Olímpico Nilton Santos, uma homenagem a um dos maiores ídolos da história do Botafogo.

“Não fui eu quem construiu o Engenhão, nem fui eu quem o nomeou. Não vou mudar o nome”, afirmou Eduardo Paes de acordo com sua assessoria de imprensa.

De fato, o Engenhão ficou pronto em 2007, quando recebeu os Jogos Pan-Americanos. O estádio foi arrendado pelo Botafogo até 20027, com renovação automática por mais 20 anos. Atualmente tem capacidade para 47 mil lugares, mas receberá instalações provisórias para as Olimpíadas e será ampliado para 60 mil.

O estádio custou R$ 380 milhões, mas teve que ser interditado para reformas pouco mais de cinco anos após sua inauguração. Tudo porque um estudo apontou problemas estruturais na cobertura, que corria risco de desabar. Desde então, o Botafogo ficou ‘sem casa’ e cobra a prefeitura pela reabertura, o que ficou decidido nesta sexta.

Fonte: UOL