Presidente do Botafogo admite que pode mandar jogos em 2016 no Espírito Santo

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Faltam menos de duas semanas para o reencontro do Botafogo com a torcida alvinegra no Espírito Santo. No próximo dia 11 (sexta-feira), o atual líder da Série B do Brasileirão pisa no Estádio Kleber Andrade para encarar Mogi Mirim. O Fogão não aparecer por aqui desde 2007, mas no que depender do presidente Carlos Eduardo Pereira um novo retorno não deve demorar tanto.

Em 2016 o Engenhão estará cedido para as Olimpíadas, o Alvinegro precisará de outros lugares para mandar seus jogos e Espírito Santo é um destino provável. E em entrevista ao site Gazetaesportes.com o dirigente carioca ainda falou de outros temas relevantes para os torcedores do Fogão. Como o jovem promessa capixaba Luis Henrique; o retorno do técnico Ricardo Gomes; as polêmicas envolvendo o ex-botafoguense Jobson e até mesmo sobre o rival Flamengo ser um exemplo para as dificuldades financeiras que atrapalham os planos do Glorioso.

Expectativa para o jogo do dia 11

“Estamos esperando um grande público, uma grande acolhida da torcida do Botafogo no Espírito Santo. Vamos estar brigando pela liderança e o Mogi Mirim, apesar de estar na parte de baixo da tabela, é um time que pode complicar. Então esperamos uma presença maciça da torcida para dar a força que nós precisamos”.

Mais jogos no Espírito Santo em 2016

“O quadro para 2016 ainda não está muito claro, mas é provável que no começo do ano o estádio Nilton Santos já passe a ser administrado pelo Comitê Olímpico Internacional. Assim é bem possível que aconteça uma reaproximação do Botafogo com o Espirito Santo, para que mais jogos sejam realizados aqui. Principalmente se a gente conseguir estabelecer algum tipo de parceria com patrocinadores”.

Atacante capixaba Luis Henrique

“O Luis Henrique é indiscutivelmente uma joia que merece um tratamento diferenciado. Um garoto promissor, com contrato até 2017 e que tem uma multa rescisória que nos deixa confortáveis em relação as investidas dos clubes do exterior. O Ricardo Gomes (técnico) está olhando para ele com muito cuidado, para ele não queimar etapas na carreira. Ele tem potencial para ser um grande jogador.

Problemas de Jobson

“É uma situação que nos entristece e o Botafogo faz o que está ao nosso alcance. A partir do momento que foi suspenso, o Jobson não pode ter nenhum vínculo com a gente, então não podemos ajudá-lo legalmente de nenhuma forma. Nem treinar. Ele está proibido pela Fifa de frequentar as dependências do clube”.

Volta de Ricardo Gomes

“Estou vendo o retorno do Ricardo Gomes com muito otimismo. E o Ricardo não assumiu o Botafogo pensando só em 2015, nós o contratamos já pensando em 2016. Pensamos em um trabalho na Série A”.

Dívidas e planos

“Por tudo que foi feito de errado na gestão anterior, a situação ainda está terrível e ainda teremos mais alguns anos de dificuldades. Teremos um 2016 também de sacrifício, mas isso é uma política que precisa ser adotada pelos clubes brasileiros. Não podemos gastar aquilo que não temos e temos que pagar todas as contas. Nesse sentido, a administração atual do Flamengo serve, sim, como exemplo”.

O time pode ter mais um jogo no ES ainda em 2015?

“Não acredito que irá acontecer um novo jogo no Espírito Santo ainda em 2015. Com nosso mando de campo não é possível. Por causa do programa de sócio-torcedor, temos que mandar as partidas no Estádio Nilton Santos. Como visitante também não acredito que dê te tempo, porque entramos na reta final do campeonato e os clubes não vão abrir mão de jogar em casa”.

Notícias relacionadas