Em meio à festa feita pela torcida no desembarque do time neste sábado no aeroporto do Galeão, após a conquista do título da Série B, o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, aproveitou para fazer um desabafo. Com a medalha de campeão da Série B no peito, o mandatário chamou de “ridícula” a premiação de R$ 400 mil destinada ao campeão do torneio.

– O valor da premiação é pequeno, chega a ser ridículo se for comparado com o da Série A (que é de R$ 10 milhões). Acho que essa é uma questão que devia ser tratada com mais carinho, os clubes que estão ou já que já passaram pela Série B deveriam olhar mais para a competição – disse o presidente.

A campanha do Botafogo na Série B ficou marcada pelo baixo salário dos jogadores. À exceção de Jefferson, existia um teto salarial de R$ 50 mil no elenco. Para o ano que vem, o presidente já adiantou que o cenário será outro e que o clube fará investimentos maiores.

– O trabalho agora muda de patamar. Voltamos para a Série A com o título de campeão. Esses fatores melhoram muito nossas condições numa mesa de negociação com empresas e patrocinadores – analisou o presidente.

Perguntas sobre o elenco para o ano que vem foram evitadas por jogadores e dirigente. O presidente, no entanto, garantiu que Jefferson, Ricardo Gomes e Antônio Lopes (gerente de futebol) permanecem no clube. E fez questão de criticar Dunga por ter colocado o goleiro alvinegro na reserva da seleção.

– Apesar do momento injusto que ele está passando na seleção brasileira, a gente está aqui para dar força ao Jefferson da mesma maneira que ele deu força ao Botafogo no momento que o time mais precisou. Definitivamente, ele não deveria estar passando por isso (na seleção) – comentou o presidente.

Fonte: O Globo Online