A grave situação financeira do Botafogo, dono da maior dívida do país (mais de R$ 800 milhões), preocupa o presidente Carlos Eduardo Pereira. Realista, ele crê que o clube vai demorar a se recuperar plenamente.

– A gente tinha dois caminhos a escolher quando chegamos. A recuperação esportiva como forma de alavancar recuperar financeira e econômica. Ou ao contrário. Optamos por arriscar na primeira opção. É difícil. Ao mesmo tempo que faz orçamento restrito tem que alcançar resultados. Felizmente conseguimos no início do Carioca. Apostamos na volta à Série A. Se não conseguirmos, o Botafogo entra em um processo de apequenamento difícil de ser revertido – disse ao “Sportv”.

– Nesses três anos não, mais três talvez possa melhorar. Em mais sete, oito anos, o Botafogo pode ter um quadro mais claro – prevê.

Fonte: Redação FogãoNET