Toda terça-feira na Rádio Botafogo Oficial, temos o quadro “A Voz do Presidente”, com o mandatário do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira. Nesta semana, o presidente do Glorioso não se omitiu e explicou diversos pontos importantes no clube de General Severiano. O planejamento nas contratações de reforços, situação do atacante argentino naturalizado chileno Gustavo Canales, departamento médico e Arena Botafogo foram assunto nesta matéria exclusiva. Confira abaixo:

Rádio Botafogo Oficial: O Botafogo está recebendo reforços para a sequência do Campeonato Brasileiro. Porém, a maioria ainda não tem condição de estreia por conta da janela que ainda não abriu. Existiu um erro no planejamento para que o Botafogo já tivesse reforçado desde o início da competição?

Carlos Eduardo Pereira: Com relação aos reforços, acho que as negociações no futebol não ocorrem com datas marcadas. Desde quando acabou a Série B que estamos olhando para o mercado. O que ocorre é, quando partimos de um processo de reformulação com uma mudança de 16 jogadores, é mais complexo. Mas havia uma unanimidade de que deveríamos reforçar a nossa equipe, trazer grandes valores e encorpar o time para Série A, e assim foi feito. Entretanto, a situação do Botafogo melhorou de 2014 para 2015, de 2015 para 2016, mas a grande maioria dos problemas permanece. A capacidade financeira para fazer grandes contratações, ou brigar com clubes que tem orçamentos mais robustos que o nosso, é limitada. Então, não foi por falta de tentativa e empenho que as contratações não ocorreram antes. Foram por limitações orçamentárias e por maior poder de aquisição dos nossos concorrentes. Realmente, gostaríamos de estar com o elenco fechado, e infelizmente não conseguimos. Recebo as críticas com humildade, mas trabalhamos e couberam essas efetivas limitações.

RBO: Reforço do Glorioso, o atacante Canales deverá ficar em tratamento por um mês até a sua estreia no Botafogo. O clube já esperava esse prazo para que o atleta pudesse entrar em campo?

CEP: Não nos surpreendeu, pois estávamos mantendo contato com o médico que cuidava do jogador no Chile, então sabíamos exatamente todos os tratamentos que fez, essa questão do edema e que precisava de um tempo a mais para se recuperar. Não foi surpresa, foi uma escolha consciente fundamentalmente em questão da qualidade do jogador. Experiente, artilheiro de fato, o perfil que o Botafogo estava buscando. Foi feito o acerto com o jogador, temos os laudos do departamento médico, e estamos confiantes que ele pode render tudo aquilo que nós esperamos.

RBO: Muitas questões, hipóteses e boatos são levantados sobre reforços. O elenco está fechado ou podem surgir novas contratações durante o Campeonato Brasileiro?

CEP: Sobre essa questão, acertamos as contratações do Pimpão, Canales e Camilo, e esperamos que sejam suficientes no nosso elenco, para que possamos ter uma boa participação no Campeonato Brasileiro. É claro que, se surgir um nome de qualidade, diferenciado e que esteja dentro do nosso orçamento, sendo do interesse do Ricardo em tê-lo no elenco, podemos fazer um esforço para trazer para o Botafogo. Mas sempre dentro da linha de trazer de que no Botafogo não existem contratações indicadas por apenas uma pessoa. Aqui todos acertam, todos erram, da comissão técnica, passando pelo Lopes, pela vice-presidência de futebol e chegando até a presidência. Aqui todos são responsáveis. Se acertamos, acertamos todos, se erramos, infelizmente, erramos juntos, e sendo assim, tentamos acertar na próxima.

RBO: Um fato que vem sendo observado são as lesões, que tem tirado muitos jogadores de ação no Botafogo e prejudicando o resultado em campo. Como o senhor está vendo essa situação do Departamento Médico cheio. Há uma cobrança mais forte sobre isso?

CEP: As questões das lesões estão afetando o Botafogo, mas também outras equipes no Campeonato Brasileiro. É claro que temos que olhar para a nossa realidade. Estamos vendo um empenho e dedicação muito grande do nosso elenco, quando houve um excesso de esforço de alguns atletas, que podem até estar pagando um preço maior por isso e digo para a torcida do Botafogo, que as reuniões de acompanhamento acontecem rotineiramente com o departamento de futebol, fisiologia, preparação física e departamento médico. Nada é deixado de lado, não há necessidade de uma cobrança mais forte uma vez que o acompanhamento é rotineiro e feito dentro do dia a dia. O que o Botafogo recebeu da parte da fisiologia e preparação física foram as indicações de alguns aparelhos que poderão agilizar não só a detecção de lesões como agilizar a recuperação dos atletas. O clube está fazendo um investimento, e tenho certeza que assim que esses equipamentos chegarem, a nossa capacidade de atendimento aos atletas estará melhorada e poderemos obter um resultado superior ao que temos atualmente.

RBO: Muito se falou sobre a Arena Botafogo com cadeiras vermelhas e etc. Já existe uma data para a estreia do estádio?

CEP: Sobre a Arena Botafogo, é curioso falar sobre cadeiras em um estádio que não terá cadeiras. As únicas que existem lá são as antigas cadeiras e são as cadeiras da parte social do Estádio da Ilha do Governador e são de cor branca. Portanto, o que foi visto nas fotografias são bordas das arquibancadas existentes em cor laranja em um padrão de montagem da empresa que está fazendo. É muito precipitado falar na cor laranja antes da Arena ser concluída. Toda crítica é válida e bem recebida, entretanto, devemos ter um pouco de paciência para esperar a montagem estar concluída. Nós estamos nos empenhando ao máximo para obter todos os laudos e a liberação do estádio. Das quatro próximas partidas que temos, três serão em casa, então é fundamental que a Arena esteja liberada. Importante dizer que não estamos construindo um estádio. Estamos ampliando um estádio existente, em que a parte social, vestiários, cabines, áreas de aquecimentos e bares já existem. Tudo isso já está pronto, recuperado e principalmente o campo. Estamos em fase final de montagem das arquibancadas, colocação dos postes de iluminação e muitos confiantes para que a estreia ocorra o mais breve possível, pois será importante para o nosso time, e pensando nisso tomamos essa decisão.

Tentando buscar a recuperação no Campeonato Brasileiro, o Botafogo volta a campo no próximo domingo (12/06), às 11h (de Brasília) no Raulino de Oliveira. O jogo contra o Vitória será válido pela 7ª rodada do Brasileirão.

Fonte: Rádio Botafogo Oficial