O desabafo de Carlos Alberto Torres, ex-ministro de futebol do Botafogo, ao blog Extracampo, surpreendeu o presidente Carlos Eduardo Pereira. O mandatário do Alvinegro entrou em contato com a redação e tem aqui o seu pedido de resposta ao Capitão do Tri atendido. Admitindo estar também decepcionado, Carlos Eduardo fez críticas ao ídolo.

– O negócio dele é dinheiro – disse.

Qual era a função do Carlos Alberto Torres no Botafogo?

Não houve barganha. Ele me foi apresentado pelo (Antônio Carlos) Mantuano. Demos a denominação de ‘ministério do futebol’ ao cargo porque ele nunca se colocou claramente. A gente sabe que o negócio dele é contrato, é dinheiro. Ele não fazia nada daquilo por amor. Pelo contrário. Se colocou sempre acima do clube. Está descolado da realidade do Botafogo. É uma página virada. Que ele siga o caminho dele. O Botafogo está acima de todos nós.

Carlos Alberto Torres disse que não cobrou do clube nem mesmo despesas que teve…

Comigo presente, ele não pagou almoçou nenhum. Pelo contrário. Sempre foi carona em todos os almoços. Ele disse na entrevista que gastou R$ 600, R$ 700 em almoços… Isso é uma quantia tão irrisória que demonstra bem a pessoa que ele é.

O senhor foi comunicado sobre a razão que levou Carlos Alberto Torres a se afastar do clube?

Ele não me apresentou as razões. Eu soube que ele estava querendo ser consultado antes das minhas decisões. Parece que não sabe como funciona o clube. Ele não foi eleito presidente do clube. O presidente do clube sou eu.

O senhor confirma que perguntou a Carlos Alberto Torres que cargo gostaria de ocupar e que ele adiou tal resposta alegando conhecer as dificuldades do Botafogo?

Mas o Botafogo não tem condição de contratar ninguém. Não fizemos nenhuma contratação administrativa. Apenas montamos a comissão. Ele sempre jogou para a frente, nunca se definiu.

Ele foi consultado sobre alguma contratação no futebol?

O René Simões foi uma indicação dele.

Fonte: Blog Extracampo - Marluci Martins - Extra Online