O processo de renovação do meia Camilo com o Botafogo começou ontem pela manhã. Pessoas próximas ao jogador e membros da diretoria do Botafogo se reuniram. O clube ofereceu uma proposta para renovar o contrato, mas ela foi considerada excessivamente baixa. Em alguns dias, as partes voltam a se reunir para que uma contraproposta seja feita.

Apesar da insatisfação com a primeira oferta, o desejo de Camilo é permanecer no Botafogo. Ele está feliz no clube e satisfeito com o tratamento que vem recebendo pelo treinador Jair Ventura e pela diretoria.

O Botafogo, por prudência, começou a negociar com antecedência a extensão do vínculo do meia, que vai até maio de 2018 — ele ainda tem um ano de contrato. Como em novembro já seria possível assinar um pré-contrato sem que o Botafogo receba pagamento algum (embora não seja essa a intenção do atleta) a diretoria resolveu se antecipar. Provavelmente para evitar situações como as de Sassá e outros jogadores, que tentam uma extensão do vínculo faltando pouco tempo para que ele possa deixar o Botafogo sem ganho para o clube.

Camilo chegou ao Botafogo no meio de 2016, vindo do Al-Shabab, da Arábia Saudita. Antes, havia se destacado pela Chapecoense. Ao chegar, foi o maior destaque da campanha do Alvinegro no Brasileirão e um dos responsáveis pela chegada da equipe à Libertadores. Hoje, ainda é considerado peça fundamental no time.

Ontem foram divulgados os resultados do exame ao qual Camilo passou após deixar o jogo contra o Sport, pela Copa do Brasil, com dores. Não foi detectada lesão e ele pode jogar a próxima partida da equipe.

Fonte: Extra Online