O time sub-17 do Botafogo perdeu o título da Copa do Brasil para o Vitória — 3 a 1 no tempo normal e 4 a 3 nos pênaltis, no Estádio Nílton Santos —, mas está em alta com a diretoria. Se serve de lição, a derrota é o que menos importa na formação dos garotos. A ponto de a diretoria do presidente Carlos Eduardo Pereira sinalizar com promoção de alguns e valorização para a maioria. Entre os destaques, o atacante Luís Henrique, autor de 14 gols em dez jogos, chamou a atenção do técnico René Simões.

Uma reunião na segunda-feira irá definir o futuro de outros destaques do sub-17. O volante Matheus Fernandes também pode ser observado entre os profissionais. Para se proteger do interesse de outros clubes e do poder econômico do futebol europeu, o Botafogo trabalha para renovar os contratos de alguns jogadores do sub-17. A maioria dos contratos vai até 2017, mas a mudança nas regras sobre os direitos econômicos dos atletas, imposta pela Fifa, fará com que o clube renegocie determinados contratos para ter 100% dos direitos de suas promessas.

— Na reunião de segunda-feira sentaremos com toda a gestão da base para definir os próximos passos — disse o gerente geral da base alvinegra, Eduardo Freeland. — Temos que ter calma agora, mas a renegociação de alguns contratos será uma das pautas até mesmo pela valorização dos garotos .

O técnico da seleção sub-17 do Brasil, Carlos Amadeu, esteve ontem no Estádio Nílton Santos para acompanhar a decisão. Amadeu elogiou o time alvinegro, mas despistou sobre quais foram os destaques individuais na equipe alvinegra.

— As duas equipes foram muito bem. Vamos deixar mais para frente sobre quais outras opções nós vamos ter para a seleção — explicou.

O treinador do sub-17 alvinegro, Felipe Conceição, exaltou a campanha que terminou com o vice-campeonato da Copa do Brasil.

— Se comparado a clubes que possuem uma estrutura melhor, fizemos uma grande campanha — festejou.

Fonte: Extra Online