O atacante Rildo, do Vasco, foi denunciado pela procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) por causa da entrada que causou a grave lesão no meio-campista João Paulo, do Botafogo, no clássico do último domingo, pela Taça Rio. Por ter quebrado a perna do adversário, corre o risco de ficar suspenso enquanto durar a recuperação do capitão alvinegro. Mas de antemão a procuradoria já pediu à presidência do TJD-RJ o deferimento da suspensão preventiva de Rildo.

O presidente Marcelo Jucá vai analisar o pedido ainda nesta terça-feira.

Rildo foi denunciado com base no artigo 254 (II), parágrafo terceiro, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O texto da lei prevê enquadramento ao jogador que tiver “a atuação temerária ou imprudente na disputa da jogada, ainda que sem a intenção de causar dano ao adversário”.

A legislação prevê que “na hipótese de o atingido permanecer impossibilitado de praticar a modalidade em consequência de jogada violenta grave, o infrator poderá continuar suspenso até que o atingido esteja apto a retornar ao treinamento, respeitado o prazo máximo de cento e oitenta dias”.

– A própria lei prevê. Ele entrou na canela e de sola. Ele assumiu o risco da lesão. Ele pode não ter tido a intenção, mas atingiu. Assumiu o risco – comentou ao Globo o procurador-geral do TJD, André Valentim.

Em relação ao árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro, que só aplicou amarelo ao jogador vascaíno, a procuradoria ainda solicitou abertura de inquérito.

– É para apurar alguma irregularidade. Vou chamar quem for de direito para prestar depoimento. Não denunciei porque é necessário ter mais provas para depois tomar as medidas cabíveis – completou André Valentim.

Vale lembrar que Rildo também acabou se machucando na partida, em um lance posterior. Ele sofreu uma luxação no ombro esquerdo e o prazo de recuperação é de um mês.

Fonte: O Globo Online