Uma norma da Fifa institui indenização diária de US$ 2,8 mil a clubes que tiverem jogadores na Copa do Mundo. É o caso do Botafogo, com o goleiro Jefferson. Com 45 dias na Seleção Brasileira, ele renderá ao clube R$ 227 mil.

Porém, o valor não é suficiente sequer para pagar o salário do próprio goleiro no período, como revelou reportagem do site “ESPN.com.br”, em maio.

“Em setembro do ano passado, a Fifa revelou como seria feita a indenização aos clubes que possuem jogadores convocados para a Copa do Mundo: cada dia de um atleta com sua seleção (15 dias antes da estreia até o fim da participação do país no evento) vale US$ 2,8 mil.

Um exemplo: se o atacante Fred chegar até a final no Maracanã, terá 45 dias contados na Copa, o que renderá ao Fluminense US$ 126 mil, ou R$ 227 mil. Valor que não fica nem perto do salário do atacante, camisa 9 e principal esperança de gols de Luiz Felipe Scolari no Brasil.

Com salário (não-declarado) de R$ 900 mil, Fred ganharia no mesmo período R$ 1,350 milhão. Ou seja: o valor a ser pago pela Fifa ao Flu alcançaria cerca de 20% dos rendimentos do jogador em 45 dias. O jogador se apresenta à seleção em 26 de maio, uma segunda-feira, logo após a sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Ele perderá dois jogos que serão realizados pelo time carioca antes da Copa do Mundo – visita ao Atlético-MG e Internacional em casa.

Se a seleção alcançar a final em 13 de julho, o Botafogo receberia menos da metade do salário de Jéfferson por 45 dias na Copa (o goleiro ganha R$ 400 mil, R$ 600 mil em um mês e meio).

Segundo reportagem do diário mexicano Record, o clube que mais receberá indenizações da Fifa pela Copa do Mundo é o Bayern de Munique: com 16 jogadores em seleções, o campeão alemão ganhará US$ 1.273.950 (cerca de R$ 2,8 milhões) se levar em conta apenas a participação dos convocados na fase de grupos. Esse total quase alcança o que a estrela Frank Ribery recebe por mês, 1 milhão de euros (R$ 3 milhões).”

Fonte: Redação FogãoNET