Atendendo a uma determinação do presidente Carlos Eduardo Pereira, o diretor do departamento de futebol do Botafogo, Antônio Lopes, deu início, nesta segunda-feira, às conversas com o técnico Jair Ventura a fim de tratar da permanência do treinador à frente do elenco para a próxima temporada.

Ventura não tem vínculo como treinador do Botafogo. Ele é contratado do clube no modelo de CLT e por isso mesmo o time pretende fazer um contrato no modelo considerado tradicional, com multa rescisória. Ele recebeu um aumento quando substituiu Ricardo Gomes, mas seu salário ainda é considerado baixo para a realidade da categoria.

Ao longo da conversa, Lopes escutou o pensamento de Ventura sobre o próximo ano, mas o atual comandante só pretende visar 2017 após a definição de uma possível vaga para a Libertadores. Hoje, o Botafogo aparece na quinta colocação com 55 pontos, precisando de duas vitórias em quatro jogos para garantir a classificação.

A ideia da diretoria é tratar de assuntos que não sejam ligados ao torneio continental, como a renovação de contrato dos jogadores com vínculo até o fim do ano e a contratação de reforços que não gerem um investimento na compra de direitos federativos. Foi o que aconteceu com o atacante Roger, que tem vínculo com a Ponte Preta até o fim deste ano e já acertou um compromisso para 2017.

Dentro de campo, o elenco ganhou folga de dois dias e se reapresenta na tarde desta terça-feira, em General Severiano, para começar a se preparar para o duelo contra a Chapecoense, na quarta-feira, às 19h30, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Para este jogo o desfalque fica por conta do atacante Sassá, suspenso por ter sido advertido com o terceiro cartão amarelo no empate sem gols com o Flamengo. Assim, Neilton e Rodrigo Pimpão formarão o ataque do Botafogo.

Fonte: ESPN.com.br