Roger, Felipe Azevedo, Wellington Paulista, Zé Roberto, Léo Cereja, Rhayner, William Pottker e, agora, Clayson. A Ponte Preta pode ganhar mais uma baixa no setor ofensivo no início de 2017. Isso porque o atacante Clayson, assim como o companheiro William Pottker, também desperta interesse de vários clubes. Entre eles, estariam Botafogo, Internacional e Vasco.

Fontes ligadas ao jogador de 21 anos revelaram que um dirigente botafoguense, inclusive, já teria feito um primeiro contato com o próprio jogador. Este mesmo membro da diretoria pretende conversar com a cúpula do clube carioca antes de formalizar uma proposta para a Macaca.

Atualmente com 21 anos, Clayson é apontado como uma das principais promessas do atual elenco pontepretano. Com contrato com a Ponte até 31 de dezembro de 2019, o atacante tem como principais características a habilidade e a recomposição do meio-campo pelos lados do campo.

Revelado pelo União São João, Clayson ganhou projeção pelo Ituano, onde atuou de 2013 a 2015. Após boas atuações pelo Galo de Itu, ele despertou interesse da diretoria alvinegros, que o contratou no segundo semestre do ano passado.

SEM ATAQUE
Caso a saída de Clayson se confirme, a Ponte corre o risco de iniciar 2017 praticamente sem ataque. Isso porque William Pottker também é bastante cobiçado e já despertou interesse de Corinthians, Botafogo, Torino-ITA e futebol chinês. A tendência é que também seja negociado.

Antes dos dois, outros seis atacantes já haviam deixado a Macaca. Com o Brasileirão em andamento, Roger acertou com o Botafogo. Depois, foi a vez de Felipe Azevedo sair para fechar com o Changran United, da Tailândia. Já Zé Roberto foi liberado para fechar com um clube do Paulistão e Léo Cereja foi emprestado ao Osasco Audax. O último a sair foi Rhayner, que irá ao Japão.

Com exceção de William Pottker e Clayson, o técnico Felipe Moreira conta com apenas outros dois atacantes. Tratam-se dos recém-chegados Ramón, que veio do Brasil de Pelotas-RS, e Erick Salles, que já treinava com o elenco e chegou do Bragantino. A expectativa é de que dois a três atacantes sejam contratados.

Fonte: Futebol Interior