Atleta do Botafogo desde os 14 anos e titular dos profissionais três anos mais tarde, Dória é o mais promissor entre os jovens formados na base do clube, que recentemente revelou Gabriel, Vitinho e Jádson. Com salários atrasados há dois meses e interesse de times europeus, o jogador de 19 anos faz neste sábado, às 21h, contra o Criciúma, sua última partida com a camisa do alvinegro no Maracanã. Em delicada situação financeira, a diretoria do Botafogo aceitará propostas menores do que a multa rescisória de €$ 21 milhões (R$ 64 milhões), assim como aconteceu com Rafael Marques.

Dória já despertou interesse de grandes europeus, como Milan, da Itália; Barcelona, da Espanha; e Chelsea, da Inglaterra. O Santos também mostrou interesse, mas o zagueiro deseja sair do país. Convocado ontem para a seleção sub-21 que disputará a Torneio de Toulon, na França, ele enfrentará na quarta-feira o Goiás, em Juiz de Fora, antes de se apresentar à delegação brasileira na quinta. A competição terminará em 1º de junho, data da última partida do Botafogo antes da parada para a Copa. Em 2013, Dória foi o capitão do Brasil, que venceu o torneio francês.

— Vamos brigar pelo bi. Ser campeão pelo Brasil é bom demais, e eu quero sentir esse gostinho de novo — disse o zagueiro, que terá a companhia de Gilberto, lateral do Botafogo emprestado ao Internacional.

O conturbado ano do Botafogo não favorece a permanência de Dória. Há um mês, Bolívar, que é seu padrinho de casamento, chegou a ter acertada a rescisão por ordem da diretoria. Um dos líderes do grupo que protestou contra os constantes atrasos salariais, o zagueiro foi mantido pelos jogadores.

Botafogo: Jefferson, Edílson, Bolívar, Dória e Júnior César; Gabriel, Bolatti e Jorge Wagner; Zeballos, Daniel e Emerson

Criciúma: Galatto, Eduardo, Fábio Ferreira, Gualberto e Cortez; Serginho, Rodrigo Souza, João Vitor e Wellington Bruno; Silvinho e Rodrigo Silva

Fonte: O Globo Online