A delegação segue na argentina por conta da greve geral que ocorre no país. Enquanto isso o presidente Maurício Assumpção se reuniu com o vice de futebol Chico Fonseca e realizou algumas ligações com dirigentes em Buenos Aires. E foi decidido manter Eduardo Hungaro pelo menos até a Copa do Mundo.

O motivo de sua permanência é o mesmo que motivos sua contratação. Sem dinheiro, o Botafogo apostou em um treinador barato e desistiu de renovar com Oswaldo de Oliveira. Tite e Cristóvão Borges foram sondados, mas o alto salário impediu o avanço nas negociações.

E mesmo com a desclassificação precoce na Copa Libertadores, a decisão é de manter o treinador. Ainda com as receitas bloqueadas, o Botafogo não tem condição de trazer um treinador, o que dá sobrevida a Eduardo Hungaro em General Severiano.

A diretoria não está nem um pouco satisfeito com o desempenho do time até o momento, já que o Botafogo fez suas piores campanhas no Campeonato Carioca e na Libertadores. Mas o fato é que a situação financeira do Alvinegro é delicada e impede uma troca no comando neste momento.

Fora da Libertadores e do Campeonato Carioca, o Botafogo ficará sem jogar até dia 20 de abril, quando fará sua estreia no Brasileiro, diante do São Paulo, no Morumbi. Para esse jogo, o Alvinegro terá o reforço de Zeballos e, muito provavelmente, de Emerson Sheik, que deve chegar ainda essa semana.

Fonte: UOL