Um item do regulamento do Estadual 2015 permitiu ao Botafogo sair na frente no clássico contra o Flamengo, domingo, no Maracanã. Na venda de ingressos que se inicia nesta quinta, a partir das 10h, apenas os sócios-torcedores alvinegros poderão comprá-los com 50% de desconto. Aos rubro-negros restará o valor inteiro.

A diferença é explicada por uma exigência da Federação. Nos jogos do Estadual, os clubes somente podem oferecer descontos a seus associados se tirarem do próprio bolso a diferença no preço e a devolverem à entidade. Uma regra que não existe em nenhum outro campeonato do país e nem mesmo nas edições passadas do Carioca.

Como clube responsável pela partida, o Botafogo aceitou a regra e vai bancar esta diferença. A nova diretoria do Alvinegro tem investido pesado em seu programa de sócio-torcedor, com direito à reformulação do projeto e logomarca estampada na parte da frente do uniforme. O clube, no entanto, entendeu que não seria vantajoso financeiramente para ele oferecer ao rival a mesma possibilidade.

— Os custos do borderô são descontados antes de haver divisão da renda. Inclusive os do sócio-torcedor. E como o Flamengo naturalmente tem mais sócios do que o Botafogo, se liberássemos para ele haveria muito mais torcedores rubro-negros pagando meia-entrada do que do nosso clube. Com isso, o Botafogo estaria pagando pelos sócios do Flamengo — explicou o presidente alvinegro, Carlos Eduardo Pereira.

Ainda que os botafoguenses oferecessem ao Rubro-negro a oportunidade de dar descontos aos sócios, a tendência é que o clube da Gávea não aceitasse. Procurado pela reportagem, o Flamengo informou que não aceita pagar pela diferença nos valores. Tanto que, desde a primeira rodada, não tem dado ao seu associado a possibilidade do desconto. O clube pretende voltar a oferecer o o benefício na Copa do Brasil e no Brasileiro.

No último domingo, Fluminense e Vasco se enfrentaram no Engenhão também sem descontos para sócios-torcedores. Responsável pela partida, o Tricolor abriu mão do “direito” de oferecer a meia-entrada por também não concordar com a exigência do reembolso.

Fonte: Extra Online