STJD só adverte Paulo Autuori por declarações após o clássico Flamengo x Botafogo

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Julgamento de Paulo Autuori, do Botafogo, no STJD
Reprodução

A Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva aplicou apenas uma advertência ao técnico Paulo Autuori, do Botafogo, pelas declarações dadas em entrevista coletiva após o clássico com o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o treinador criticou a conjuntura do futebol brasileiro, a qual chamou de “suspeita”.

O julgamento se arrastou por quase duas horas. A decisão da maioria foi por absolvê-lo no artigo 258 (conduta antidesportiva) e aplicar a pena mínima no artigo 243-F (ofensa) que foi desclassificado para o 258, convertida em advertência. Divergiram o relator João Rafael de Souza Caetano Soares e o vice-presidente da 1ª Comissão Sérgio Henrique Furtado Coelho.

Autuori havia sido denunciado nos artigos 258 (conduta antidesportiva) e 243-F (ofensa à honra) após notícias de infração impetradas pela Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF) e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Em sua explanação, Autuori admitiu que conversou com o árbitro Leandro Pedro Vuaden e reforçou suas declarações dadas na entrevista coletiva após o clássico contra o Flamengo, em que criticou a conjuntura do futebol brasileiro. O técnico do Botafogo disse que não faltou ao respeito com ninguém e que apenas estava exercendo seu direito de expressão.

– Falei, falo e falarei sempre de conceitos. Interiormente tenho que abrir um sorriso quando se fala de ofensas, o contraditório é sempre salutar. Quando há uma divergência de conceitos, se passa para diferenças pessoais. Citei a conjuntura do futebol brasileiro e a coletânea de acontecimentos. Em termos de conceito, disse exatamente aquilo que gostaria de ter dito. Não tiro uma palavra. Independente de ser discriminado como não ter nenhuma representatividade para falar, sinto-me com o direito de emitir uma opinião. Sinto-me muito tranquilo em relação àquilo que disse – afirmou Autuori em seu depoimento.

Em determinado momento, Autuori foi questionado pelo procurador Rafael Carneiro sobre a conversa com Vuaden. Ele ressaltou que elogiou o árbitro e que apenas foi debater sobre critérios. Não concordo com muitas situações que ocorrem com o Botafogo, é um direito que nós temos, o direito ao contraditório.

– Não concordei ou deixei de concordar (com o pênalti), fui conversar com o Vuaden e pedir que me explicasse o critério daquela penalidade. Em nenhum momento eu falei em equipes. Eu citei que as coisas no futebol brasileiro não mudam, permanecem sempre as mesmas. Não falei em nenhum momento de beneficiar equipes.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas