O Botafogo não obteve êxito na Justiça. Em julgamento realizado nesta terça-feira, em sessão itinerante do Superior Tribunal de Justiça Desportiva em Salvador, não foi acatado o pedido do clube de anulação da partida contra o Palmeiras, por uso indevido do VAR por parte da árbitro Paulo Roberto Alves Júnior. O STJD decidiu por unanimidade (9 a 0) pela manutenção do resultado Botafogo 0 x 1 Palmeiras.

Apesar do erro de direito do árbitro Paulo Roberto Alves Júnior, que reiniciou a partida com gesto antes da marcação do polêmico pênalti de Gabriel em Deyverson, e de contradições nos discursos – como o áudio do VAR clamando que o juiz não recomeçasse o jogo -, o STJD optou por manter a estabilidade da competição, considerando que o caso não era relevante o suficiente para anulação.

Os votos foram proferidos, na sequência, pelo relator Décio Neuhaus, pelo vice-presidente do STJD, Otávio Noronha, pelo vice-presidente administrativo do STJD, Ronaldo Piacente, pelos auditores João Bosco Luz, José Perdiz, Mauro Marcelo de Lima e Silva, Arlete Mesquita e Antônio Vanderler e, por fim, pelo presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho.

Com a manutenção do resultado, o Botafogo fica com 15 pontos em 9 partidas no Campeonato Brasileiro. O Palmeiras se isola na liderança, com 25 pontos.

Fonte: Redação FogãoNET