Se o Botafogo necessitar de um atacante para a sequência da temporada 2015, na qual disputa a Série B do Brasileiro e a Copa do Brasil, já sabe que poderá contar com suas categorias de base. Tanto no sub-20, como no sub-17, a equipe de General Severiano lapida duas joias que já chamam atenção da diretoria alvinegra e se preparam para integrarem a equipe principal nas próximas semanas.

Vinicius Rodolfo de Souza Oliveira tem 20 anos e, graças a sua força e seu físico avantajado, foi apelidado de “Tanque”. Com uma média de quase um gol por partida no Campeonato Carioca sub-20, Vinícius Tanque foi à rede 21 vezes, nos 23 jogos do time no Estadual da categoria. No dia 11 de maio, contra o Volta Redonda, ele marcou quatro dos cinco tentos na goleada por 5 a 0 e já é apontado como a grande esperança da base botafoguense.

Na Copa São Paulo, no início do ano, no entanto, assim como todo o time alvinegro carioca, não empolgou. Marcou apenas um gol, e a equipe caiu já na Segunda Fase, ao perder nos pênaltis para o xará de Ribeirão Preto, que viria a ser vice-campeão – foi derrotado pelo Corinthians, na final, no Pacaembu.

Com contrato se encerrando apenas no dia 31 maio de 2016, o Botafogo preferiu não perder tempo e tratou de renovar o vínculo com a joia. Agora, além de 80% de seus direitos pertencerem ao time alvinegro, Vinícius Tanque permanecerá em Niteroi até dezembro de 2017.

Algumas categorias abaixo está Luis Henrique Farinhas Taffner. Aos 17 anos, ele foi o melhor marcador da Copa do Brasil sub-17, findada na última terça-feira, com o vice-campeonato do Botafogo – perdeu a final para o Vitória, nos pênaltis. O jogador marcou incríveis 14 gols em 10 jogos, média de quase um tento e meio por partida, e marcou o dobro do número de seu concorrente mais próximo, Matheus, do rival Flamengo. O camisa 9, inclusive, fez gols nas duas finais.

Nascido em 98, o atacante já tem títulos em seu currículo: venceu o Campeonato Carioca sub-17, além de ter sido campeão estadual na categoria infantil. Em 2013, aos 15 anos, foi convocado para integrar a seleção brasileira sub-15.

No Rio de Janeiro desde 2010, o capixaba de Itarana chegou às categorias de base do Flamengo. Após três anos na Gávea, a comissão técnica resolveu dispensá-lo. O técnico Felipe Conceição, que à época comandava o sub-15 do Botafogo, o levou para General Severiano e até hoje a parceira segue, já que comandou Luis Henrique na Copa do Brasil sub-17.

Fonte: ESPN.com.br