As últimas declarações de Luis Fernando Santos, vice-presidente executivo do Botafogo, não foram bem recebidas pela torcida do Alvinegro. Cerca de vinte botafoguenses protestaram nesta sexta-feira, na sede de General Severiano, e o dirigente, além do “Mais Botafogo“, grupo político do presidente Nelson Mufarrej, foram os principais alvos.

Antes da partida contra o Atlético-MG, no último domingo, Luis Fernando Santos afirmou, à “Rádio Globo”, que o Botafogo era “um paciente em estado grave internado em uma UTI”. A declaração irritou os torcedores presentes, que exigiram um pedido de desculpas do dirigente, que não apareceu para conversar com a torcida.

Em um momento, os botafoguenses presentes foram até a entrada da sede de General Severiano e foram segurados por Luiz Felipe Novis, vice-presidente de finanças do clube, que falou com a torcida, tentando acalmar a situação. O clima em General Severiano era pesado. Fora da sede, cantos como “Ô, ô, ô… Paga os salários” e “Fora Mais Botafogo” eram comuns.

O protesto foi organizado por uma série de torcidas organizadas do Botafogo. Os torcedores presentes relataram que estão cansados dessa “velha política”, e reclamaram dos altos preços de ingressos para as partidas do Alvinegro no Estádio Nilton Santos. Um dos presentes relatou que “a diretoria não pode colocar esses preços com a fase que o time está”.

A torcida soltou rojões e fogos de artifício e intensificou o grito de protesto contra Luis Fernando Santos, exigindo um pedido formal de desculpas pela declaração. Duas viaturas policiais foram chamadas para fazer a segurança do local.

É provável que a torcida do Botafogo volte a se organizar para realizar mais protestos em um futuro próximo. De acordo com os botafoguenses presentes, os próximos eventos terão uma convocação ainda maior. A intenção é demonstrar a insatisfação com a atual gestão do Alvinegro.

 

 

Fonte: Terra, Twitter do Edgard Maciel de Sá (Globoesporte.com) e Twitter do Carlos Eduardo Sangenetto (FogãoNET)