O torcedor do Botafogo está revoltado com a eliminação do time na Copa Libertadores, após a derrota por 3 a 0 para o San Lorenzo-ARG, na última quarta-feira. Líderes das organizadas do clube realizaram uma conferência após o revés e prometem protestar contra a equipe no desembarque da equipe nesta quinta-feira.

Após a derrota, alguns líderes de torcida se manifestaram através das redes sociais e salientaram o apoio dado ao Botafogo durante a disputa da Libertadores. Com a queda precoce, no entanto, a relação mudará. Sai o apoio e entram as cobranças.

Os protestos não são uma novidade no Botafogo. Ano passado, o time caiu de produção na reta final do Campeonato Brasileiro e colocou a vaga na Libertadores em risco, como ocorreu durante os últimos anos. Os torcedores não perderam tempo e se manifestaram cobrando atletas no Engenhão.

Até mesmo esse ano alguns torcedores já se manifestaram. Os protestos, porém, eram contra a diretoria e à favor dos atletas, que reivindicam salários em dia. Uma organizada foi até o Engenhão portanto faixas cobrando os dirigentes e apoiando o elenco nas vésperas dos decisivos jogos na Libertadores.

A relação deve mudar. Enquanto algumas organizadas pretendem fazer protestos civilizados, outros, mais exaltados, planejam algo mais incisivo. No ano passado, nem mesmo a presença de Seedorf impediu a fúria dos torcedores, que jogaram ovos no ônibus da delegação. O fato chateou bastante o holandês na oportunidade.

Fora da Libertadores e do Campeonato Carioca, o Botafogo ficará sem jogar até dia 20 de abril, quando fará sua estreia no Brasileiro, diante do São Paulo, no Morumbi. Para esse jogo, o Alvinegro terá o reforço de Zeballos e, muito provavelmente, de Emerson Sheik, que deve chegar ainda essa semana.

Fonte: UOL