TUMOR RETIRADO É BENIGNO; CURADO, ROGER QUER VOLTAR ESTE ANO

Compartilhe:

Após passar por cirurgia para a retirada de um tumor renal, no último domingo, o centroavante Roger, do Botafogo, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira no auditório do hospital Samaritano, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. E a notícia é ótima para o futebol. O tumor é benigno. Roger está curado.

“Quero agradecer a Deus, porque mais uma vez ele mostrou o carinho e amor que tem não só por mim, mas por todos nós. Doutor (Raphael Rocha), quero agradecer ao senhor. Me emociono porque sem dúvida foi o momento mais difícil da minha vida. Eu esperei para dar essa entrevista porque queria falar curado. É muito bom ouvir isso do senhor. Quero agradecer a todos, Deus abençoe a vida de todos, do povo brasileiro, as torcidas, atletas, treinadores…”, disse Roger, muito emocionado.

“Não teve diferença nessa hora. Eu sou um cara que sempre luto para ter futebol sem diferenças, sem brigas, foi muito bom o carinho que eu recebi. Eu tive, sem dúvida, a mão de Deus e de um grande médico. Hoje já posso dizer que estou curado e em 30 dias, se deus quiser, estarei treinando”, acrescentou.

O cirurgião responsável, dr. Raphael Rocha, estava ao lado dele.

“O Roger se recuperou muito bem, a cirurgia foi rápida, com sangramento muito pequeno. Hoje a gente conseguiu obter o resultado patológico final e identificamos uma tumoração benigna. Isso é muito positivo para o emocional dele e para o prognóstico. Não vamos precisar fazer nenhum tratamento adicional. A perspectiva é que ele esteja curado”, disse.

Roger, agora, já planeja o futuro.

“A primeira reação foi de muito choro, muita dor, até porque ainda não se sabia exatamente o que era, como tratar, o que fazer. Mas sinceramente, hoje é a segunda vez que eu choro. Chorei quando vi meus pais chorando e hoje. Então, acho que essa força que todo mundo passou, essa positividade, orações, mensagens, ligações, tudo isso fez a diferença e me fortaleceu. Agora espero treinar em 30 dias, quem sabe sonhar em fazer os os últimos dois três jogos do campeonato. Graças a Deus eu talvez possa sonhar”.

O médico Raphael Rocha falou sobre a possibilidade de Roger jogar ainda em 2017.

“Essa é uma pergunta difícil de responder. Eu vou liberar o Roger com 30 dias, como qualquer paciente, a voltar às atividades físicas. Mas claro que esse retorno não é imediato. Ele não estará daqui a um mês como esteve há três semanas; isso também depende de um trabalho do clube. Mas ele estará apto a reiniciar as atividades físicas em 30 dias”, disse o doutor.

“Minha meta é jogar contra o Cruzeiro. Por que não? Se daqui a 30 dias eu iniciar, em 15 recuperar a forma física, por que não? É um sonho, também não vou criar expectativa. Mas é um objetivo. Se acontecer, ótimo, se não, eu acabo o ano treinando, alegre, saudável. Isso para mim já é um grande ganho”, afirmou Roger.

A cirurgia

Foi feita uma cirurgia robótica, em que uma máquina é quem fica em contato direto com a pinça. Uma biópsia no material recolhido foi feita para determinar se ele era de natureza benigna ou maligna.

Abaixo, outros trechos da entrevista.

Força para superar – Roger

“Eu cheguei na sala do doutor e falei que vivia a melhor fase da minha vida: 49 jogos, 17 gols, vivendo sonho de todo o atleta. Me perguntei sim, por que nessa hora. Mas eu também tenho uma mensagem para dar: o Deus que me trouxe até aqui e me fez vitorioso é o mesmo que pode permitir um tumor na minha vida. E não seria justo vir aqui reclamar. Eu sou um privilegiado, tenho uma família linda, sou um atleta de alto nível, tenho filhos abençoados, voltei a ficar curado. Então não tenho por que reclamar. Questionei, mas não reclamei, porque o mesmo Deus que me deu tudo me deu essa doença. E também foi ele que me trouxe um grande medico e fez uma cirurgia”.

Procedimento cirúrgico – médico

“Retirando o tumor, só é preciso fazer exames para ver a recuperação do rim. Mas ainda que fosse um tumor maligno, na grande maioria dos casos a cirurgia é suficiente para o tratamento e a cura da doença. Na maioria dos casos, não precisaríamos fazer tratamento adicional no caso de tumor maligno”.



Fonte: Extra Online
Comentários