UFA UFA! BOTAFOGO SE RECUPERA E VENCE O ATLÉTICO-MG NO MARACANÃ

Compartilhe:

Julio Cesar comemora com Rafael Marques: na comemoração, gritou "Fala aí" para a torcida (FOTO: Satiro Sodré/SSPress)

Julio Cesar comemora com Rafael Marques: na comemoração, gritou “Fala aí” para a torcida (FOTO: Satiro Sodré/SSPress)

“#Libertadores é obrigação”. Três dias depois da eliminação do Botafogo na Copa do Brasil,  a torcida levou o recado ao Maracanã para exigir que o time termine o Campeonato Brasileiro na zona de classificação para o principal torneio da América do Sul em 2014. E os jogadores corresponderam à expectativa. Na noite deste sábado, o Alvinegro carioca esteve longe de repetir suas melhores atuações na competição, mas derrotou o Atlético-MG por 1 a 0 e reencontrou o caminho das vitórias depois de três partidas. Com gol de Julio Cesar, o time subiu para terceiro lugar com 53 pontos e abriu provisoriamente sete de vantagem dentro do G-4. Para alegria do público de 6.472 pagantes (10.743 presentes). A renda foi de R$ 176.180,00.

Assim como a torcida adversária, o Galo, cumprindo tabela no Brasileiro com 45 pontos, também está com a cabeça em outro torneio: o Mundial de clubes, que será disputado em dezembro, no Marrocos. Mas os jogos que servem de teste para a equipe levantam uma preocupação com a oscilação: nos últimos sete jogos, foram dois empates, duas vitórias e três derrotas. Neste sábado, mesmo com Marcos Rocha, Josué, Diego Tardelli e Luan voltando de suspensão, o time foi irregular. Além disso, segue com um longo jejum diante do Botafogo no Maracanã: já são 28 anos, ou oito partidas, sem triunfos sobre o rival.

Botafogo e Atlético-MG agora terão uma semana inteira para se prepararem para a próxima rodada. O Glorioso só volta a campo no outro domingo, dia 3 de novembro, quando visitará o Goiás, às 17h, no Serra Dourada. Jà o Galo joga um dia antes, no próximo sábado, contra o já rebaixado Náutico às 21h, no Independência.

protesto torcida botafogo  (Foto: Thales Soares)Após eliminação da Copa do Brasil, torcida do Botafogo cobra vaga na Libertadores (Foto: Thales Soares)

Em jogo de má pontaria, torcidas comemoram contra o Cruzeiro

Novidade da escalação do Botafogo, Alex tentou dar ao ataque do Botafogo o que estava em falta com Lodeiro: mais movimentação. Motivado com a oportunidade de titular, o atacante ganhou didividas e tirou tinta da trave numa chance cara a cara com Victor. Tudo em menos de dez minutos. Mas o ritmo caiu tão rápido quanto surgiu. E o time, maior finalizador da competição antes da rodada, até o fim da etapa se via concluindo menos que o adversário num jogo aberto. Com os retornos de Diego Tardelli e Luan após cumprirem suspensão, o Atlético-MG voltou a ter velocidade de sobra à frente e deu trabalho a Jefferson.

Em duas oportunidades, o goleiro botafoguense teve que sair nos pés de Fernandinho e Tardelli para evitar as finalizações. Numa delas, mesmo com o arqueiro fechando o ângulo, o atacante conseguiu o cruzamento na área com o gol vazio, mas não chegou na cabeça de Jô. O centroavante, aliás, destoou dos companheiros. Errou passes e não deu um chute sequer. E num primeiro tempo onde o mais perto que a bola chegou da rede foi numa cobrança de falta de Edílson no travessão, as duas torcidas só vibraram quanto o telão do Maracanã anunciou a virada do Criciúma sobre o líder Cruzeiro. Os alvinegros cariocas ainda sonhando com o título, e os mineiros, tirando onda com o maior rival.

Alex tentou, não reseolveu e foi substituído logo no início da etapa final por Sassá. Mas a segunda novidade da escalação do Botafogo teve mais estrela. O volante que voltou de contusão e barrou Renato, foi bem tanto na marcação quanto no ataque. Ele, que já tinha servido Seedorf num chute perigoso no primeiro tempo, foi o garçom de Julio Cesar no segundo. Após tabelinha, o lateral saiu cara a cara com Victor e chutou duas vezes para abrir o placar e dar outro motivo para a torcida comemorar, já que no Mineirão o líder Cruzeiro virou sobre o Criciúma. O gol saiu  num momento em que o Atlético-MG estava melhor em campo. E continuou.

Disperso no primeiro tempo, Jô demorou, mas entrou no jogo. Especialmente depois da entrada de Guilherme no lugar de Luan. O centroavante passou a receber mais a bola, apareceu com os pés e com a cabeça dando trabalho para Jefferson e ainda colaborou com passes para os companheiros finalizarem. Mas Fernandinho e Tardelli estavam com a mira pra lá de torta. Cuca reforçou a marcação com Leandro Donizete no lugar de Josué e foi para o tudo ou nada com Neto Berola na vaga de Junior Cesar. Mas o Botafogo segurou a suada vitória. Octávio substituiu Gegê para ganhar tempo, e diferentemente da eliminação na Copa do Brasil, Seedorf deixou o campo aplaudido dessa vez para a entrada de Lodeiro. E os botafoguenses voltaram a sorrir.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 26/10/2013 – 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Renda e público: R$ 176.180,00 / 6.472 pagantes / 10.743 presentes
Cartões amarelos: Dória (BOT); Emerson (ATL)
Cartões vermelhos:
Gols: Julio Cesar 7’/ 2ºT (1-0)

BOTAFOGO: Jefferson, Edilson, Bolívar, Dória, Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Gegê (Octávio 40’/2ºT), Seedorf (Lodeiro 23’/2ºT), Rafael Marques; Alex (Sassá 11’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Emerson, Junior Cesar (Neto Berola 33’/2ºT); Pierre (Leandro Donizete 11’/2ºT), Josué, Luan (Guilherme 15’/2ºT), Diego Tardelli, Fernandinho; Jô. Técnico: Cuca.

Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)

Comentários