Verba da TV acaba, e Botafogo terá de recorrer a outra fonte para quitar salários

Compartilhe:

Depois da derrota por 2 a 0 no domingo, para o Atlético-PR, que fez o time voltar para a zona de rebaixamento do Brasileirão, jogadores e funcionários do Botafogo tiveram nesta segunda-feira, enfim, uma boa notícia. Assim como já estava previsto, o Sindicato de Empregados de Clubes do Rio (Sindeclubes) começou a repassar os pouco mais de 400 cheques como um mês de salários. Metade foi entregue mais cedo, e a previsão é que a parte restante saia até o fim desta tarde.

O Sindeclubes conseguiu na última sexta-feira, através de uma ação na Justiça, o desbloqueio de R$ 2,5 milhões referentes a direitos de transmissão de TV. A quantia é suficiente para pagar um mês na carteira de trabalho aos atletas, que estavam com um trimestre de atraso salarial, e também aos demais funcionários, que estavam com dois. Os direitos de imagem do elenco, no entanto, continua com seis meses pendentes.

Este pagamento foi providencial já que, com três meses sem receber, os jogadores teriam o direito de entrar com uma ação na Justiça, através de um entendimento jurisprudencial. Temendo esse risco, o clube conseguiu pagar, na sexta, apenas os vencimentos do zagueiro Dória e Gabriel, jogadores com mercado dentro e fora do país, que poderiam deixar General Severiano de graça.

Essa foi a quarta vez consecutiva que o Sindeclubes conseguiu o desbloqueio de R$ 2,5 milhões para pagar um mês a funcionários alvinegros com a verba oriunda de direitos de transmissão. Caso seja necessário novamente este tipo de intervenção em setembro, será necessária outra fonte, já que o total de direitos era de R$ 10 milhões. O Sindicato vai aguardar orientação do departamento jurídico a respeito do assunto.

No próximo dia 21 de agosto, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) irá julgar o recurso do Glorioso para a volta ao Ato Trabalhista. Se conseguir, o clube deixará de ter toda a sua receita penhorada e o presidente Maurício Assumpção poderá respirar um pouco mais em relação à crise financeira atual.

Fonte: Extra Online

Comentários