Há anos tentando se acertar financeiramente, o Botafogo segue com graves problemas de renda e vive uma situação que até então era incomum em General Severiano: salários atrasados. Parte dos débitos de maio seguem sem pagamento, e a folha de junho, que vence nesta semana, também não foi quitada pela diretoria. Em entrevista ao diário Lance, Luiz Felipe Novis, vice de finanças do clube, explicou como o Botafogo está financeiramente neste momento.

“É uma situação complicada, mas já estava prevista de acontecer. Até reduzimos os custos previstos no orçamento. O principal problema foi a receita não realizada, como vendas e outras coisas, que vão nos apertando. A diretoria toda está se mobilizando para levantar recursos. A situação ainda vai ser um pouco instável até conseguirmos uma venda ou outra coisa”, admitiu o cartola.

O Botafogo tem a esperança de negociar alguns garotos que se destacaram no time titular nas últimas temporadas. Dois bons exemplos são o zagueiro Igor Rabello e o meio-campista Matheus Fernandes, que não devem permanecer por muito mais tempo no time carioca. A ausência na classificação para a Conmebol Libertadores deste ano, além do longo jejum de títulos, faz com que o Botafogo tenha ainda mais dificuldade em gerar e receber receitas maiores.

“Por enquanto, estamos apagando incêndio. Mas está sob controle. Pagamos quase a metade da folha de maio e o salário dos funcionários estava em dia. Pode ter algum atraso agora na folha de junho, que vencerá agora. É uma situação preocupante, mas não desesperadora”, finalizou o dirigente.

Fonte: Fox Sports e Lance!