Ação de Túlio na Justiça contra o clube foi decisiva para Botafogo vetar ex-jogador

Compartilhe:

A relação de Túlio Maravilha e Botafogo, ao que tudo indica, vai de mal a pior. Nesta quinta-feira, o atacante utilizou sua conta no Twitter para desabafar e acusar o presidente Maurício Assumpção de vetar sua participação nas finais contra o Flamengo pelo Campeonato Carioca de Futebol 7, que serão disputadas neste sábado e domingo.

Segundo apuração do UOL Esporte, Túlio foi convidado pela Federação de Futebol 7 para defender o Botafogo, de acordo com o regulamento da competição – um ex-atleta que tenha jogado profissionalmente pelo clube poderá ser utilizado. Porém, o Alvinegro não foi informado previamente e recusou, pois já negociava com Dodô. O Flamengo terá Petkovic, utilizando-se da mesma regra.

“Fui convidado pela Federação Carioca de Futebol 7 para participar da final, mas infelizmente o presidente do Botafogo me proibiu de jogar. Não bastasse o milésimo gol, agora me proíbe de vestir a camisa do meu clube de coração. Eu não entendo. A última alegria dos alvinegros foi em 1995, quando ajudei o clube a conquistar o Brasileiro”, desabafou o atacante.

Procurado pela reportagem do UOL Esporte, o Botafogo disse que não irá se pronunciar sobre o ocorrido. Mas a ação movida na Justiça por Túlio Maravilha, cobrando R$ 1,5 milhão do Botafogo após o clube desistir do projeto do milésimo gol, foi decisiva para que o atacante não fizesse parte do projeto.

Além disso, o Botafogo já acertou com Dodô para a disputa da Liga Nacional, que ocorrerá a partir de 22 de novembro. O atacante, que deixou o Barra da Tijuca, da 2ª divisão do Rio, já disputaria, inclusive, a final do Carioca contra o Flamengo, mas não tem presença confirmada por conta de problemas pessoais.

Fonte: UOL

Comentários